Vitória por 4 a 2 no Mané Garrincha coloca ainda mais peso no confronto direto entre o time paulista e o Cruzeiro

O São Paulo apresentou falhas em seu sistema defensivo, mas superou os erros e derrotou o Botafogo por 4 a 2, na noite desta quarta-feira. Em partida inspirada do volante Souza, autor de dois gols, o Tricolor confirmou seu embalo no Campeonato Brasileiro justamente antes de enfrentar o líder Cruzeiro.

Jogadores do São Paulo comemoram o gol de Alan Kardec diante do Botafogo
Alexandre Schneider/Getty Images
Jogadores do São Paulo comemoram o gol de Alan Kardec diante do Botafogo


A partida foi disputada no estádio Mané Garrincha, em Brasília, por opção do mandante Botafogo, que vislumbrou a chance de ter um ganho financeiro maior. Porém, quem se sentiu em casa foi o São Paulo, embalado até por gritos de olé no fim. Quem abriu o placar foi Alan Kardec, logo no início do confronto. Pouco depois, em duas falhas dos são-paulinos pelo alto, Zeballos e André Bahia viraram.

Porém, o time de Muricy Ramalho comprovou sua superioridade e, ainda no primeiro tempo, Souza marcou duas vezes. Já no início da etapa final, Airton foi expulso ao cometer falta e ainda acertar o pé na cabeça de Alexandre Pato caído. Com um a mais, o domínio tricolor foi ainda maior, e Pato assinalou o quarto no fim.

Veja como está a classificação do Campeonato Brasileiro

Com a vitória, o São Paulo chegou aos 39 pontos, na vice-liderança isolada do Brasileirão, enquanto a ponta continua com o Cruzeiro, que tem 43 e só joga na quinta, contra o Bahia. No domingo, o Tricolor enfrentará justamente a equipe celeste, no Morumbi.

Já o Botafogo continua em situação difícil no Nacional, pois aparece com apenas 22 pontos, em 14º lugar. A equipe de Vagner Mancini tentará reagir no domingo, quando enfrentará o Internacional, no Beira-Rio.

O jogo

As duas equipes mostraram velocidade no ataque e dificuldades na defesa e, por isso, a partida teve lances de emoção desde o começo. Logo no primeiro minuto, Wallyson acionou Ferreyra na área, e o atacante finalizou na saída de Rogério Ceni, que conseguiu fazer a defesa. Na resposta são-paulina, Ganso fez boa jogada pela direita e rolou para Alan Kardec, que finalizou muito fraco, nas mãos do goleiro Andrey, desperdiçando boa chance.

No entanto, o atacante teve outra chance pouco depois e se redimiu. Aos sete, Michel Bastos avançou pela esquerda, driblou Rodrigo Souto e cruzou para Kardec, que, desta vez, finalizou com precisão, balançando a rede do time do Rio de Janeiro. Em vez de trabalhar para consolidar o placar, o São Paulo passou a mostrar ainda mais defeitos atrás. Em cobrança de falta de Wallyson, a bola passou pelo meio da defesa tricolor e sobrou para Rodrigo Souto, que arrematou por cima do gol.

Confira fotos dos jogos que abrem o returno do Campeonato Brasileiro

Mesmo assim, o Botafogo conseguiu virar a partida, aproveitando os erros seguidos da defesa paulista. Aos 19, Wallyson bateu escanteio e viu Zeballos cabecear com liberdade. Rogério Ceni fez a defesa, espalmando para frente, e o rebote sobrou para o próprio atacante paraguaio finalizou para a rede. Apenas três minutos depois, Wallyson cobrou novo escanteio, e André Bahia subiu no meio da zaga tricolor para marcar o gol de cabeça.

Com o placar adverso, o São Paulo passou a se posicionar mais no sistema ofensivo e teve chance em cobrança de falta da meia-esquerda, mas Rogério Ceni falhou na tentativa, pois tentou chutar por baixo e acertou a barreira. O time de Muricy Ramalho só chegou ao empate aos 36 minutos, quando Alexandre Pato recebeu de Michel Bastos pela esquerda, puxou para o meio e finalizou por baixo. Andrey espalmou para o lado, e a bola sobrou para Souza, que, diante do gol aberto, não teve dificuldade de mandar para a rede.

Na comemoração do gol, alguns torcedores caíram quando um portão da arquibancada cedeu. A equipe médica compareceu ao local para o atendimento. Já em campo, o terceiro gol são-paulino saiu aos 41 minutos. Alexandre Pato fez o cruzamento da esquerda para Souza, que dominou na área, tirou o marcador e finalizou com força. Andrey ainda chegou a tocar na bola, mas não evitou o gol. Antes do fim do primeiro tempo, nos acréscimos, Wallyson recebeu com liberdade pela direita da área, driblou Edson Silva e finalizou nas mãos de Rogério Ceni.

Depois do intervalo, o mesmo botafoguense desperdiçou chance clara. Wallyson dominou lançamento livre na meia-lua e saiu de frente para Rogério Ceni, que fez a defesa e salvou o time na finalização do atacante. Para piorar ainda mais a situação do Botafogo, o volante Airton foi expulso no começo da etapa final, por ter acertado o pé na cabeça de Alexandre Pato, que estava caído.

Com seu time sendo dominado, Vagner Mancini promoveu duas alterações no Botafogo, colocando Sidney e Yuri Mamute nas vagas de Junior Cesar e Ferreyra, respectivamente. Mas o técnico Muricy Ramalho também aproveitou para mexer em sua equipe, tirando Kaká para a entrada de Osvaldo. Com ampla superioridade, o São Paulo fechou o placar aos 35, quando Alexandre Pato recebeu de Osvaldo e mandou para a rede.

FICHA TÉCNICA -  BOTAFOGO 2 X 4 SÃO PAULO
Local:
Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF)
Data: 10 de setembro de 2014, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Marielson Alves Silva (BA)
Assistentes: Alessandro Rocha de Matos (Fifa-BA) e Elicarlos Franco de Oliveira (BA)
Cartões amarelos: Sidney (Botafogo). Alexandre Pato e Souza (São Paulo)
Cartão vermelho: Airton (Botafogo)

Gols
BOTAFOGO:
Zeballos, aos 19, e André Bahia, aos 22 minutos do primeiro tempo
SÃO PAULO: Alan Kardec, aos 7, e Souza, aos 36 e aos 41 minutos do primeiro tempo. Alexandre Pato, aos 35 minutos do segundo tempo

BOTAFOGO: Andrey, Gabriel, Bolívar, André Bahia e Junior Cesar (Sidney); Airton, Rodrigo Souto, Julio Cesar e Zeballos (Gegê); Wallyson e Ferreyra (Yuri Mamute)
Técnico: Vagner Mancini

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Auro, Rafael Toloi, Edson Silva e Michel Bastos; Souza (Maicon), Denilson, Ganso e Kaká (Osvaldo); Alexandre Pato e Alan Kardec
Técnico: Muricy Ramalho

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.