Odílio Rodrigues não esconde a irritação com relação à impossibilidade de o time contar com o atacante

Robinho, atacante do Santos
Carlos Ferrari/Fatopress/Gazeta Press
Robinho, atacante do Santos

Repatriar Robinho pela segunda vez é motivo de orgulho para a atual diretoria do Santos. Entretanto, pouco menos de um mês após apresentar o atacante, o clube o viu se tornar desfalque para jogos importantes do Campeonato Brasileiro devido a convocação da seleção brasileira. Em entrevista à ESPN , ao ser questionado sobre o assunto, Odílio Rodrigues, presidente santista, não escondeu a irritação.

"Estou muito bravo com a convocação do Robinho. Um jogador de 30 anos, o Santos fez um sacrifício danado para trazer e para melhor o nível do futebol. Em 30 anos ele não precisa mais provar quem ele é. E a CBF pega o jogador, convoca o jogador e para uma excursão ‘caça niquel’, porque deve precisar pôr mais dinheiro lá dentro. E o Santos, que fez todo o sacrifício, não tem o jogador", esbravejou o mandatário, lembrando o caso de seu lateral esquerdo chileno também.

"O Mena foi para um negócio desse, está lesionado, vai ficar um mês (parado), quem paga? Essas coisas, se a gente não discutir... A gente precisa discutir representação dos clubes. Quem nos representa? Essa é a discussão. A CBF diz que é, mas não tem ninguém", completou.

Odílio Rodrigues tem batido na tecla de um plano que crie uma independência dos clubes brasileiros perante a CBF.

"Se os clubes não entenderem que a gente tem que se unir e formar uma instituição autônoma. O clube, na atual momento do futebol brasileiro, não tem força nenhuma", disse, sem revelar com quem já conversou sobre o assunto. "Prefiro não falar. Com bastante gente", afirmou, porém, descrente com as respostas negativas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.