Segunda edição do torneio terá patrocínio de banco estatal e contará com a participação de 20 equipes

Começa nesta quarta-feira o Campeonato Brasileiro Feminino. Essa será a segunda edição do torneio, que é patrocinado integralmente pela Caixa Econômica Federal. Na coletiva de lançamento da competição estiveram presentes o Ministro dos Esportes, Aldo Rebelo, o técnico da seleção brasileira feminina, Oswaldo Alvarez, o Vadão, e a ex-jogadora e coordenadora da modalidade na CBF, Michael Jackson. Ao todo, serão 20 equipes participantes, divididas incialmente em quatro grupos.

Jogadoras da Portuguesa e do Centro Olímpico prestigiam o lançamento do Campeonato Brasileiro feminino
Divulgação
Jogadoras da Portuguesa e do Centro Olímpico prestigiam o lançamento do Campeonato Brasileiro feminino


"Já estou envolvido emocionalmente com o futebol feminino e quero fazer um apelo para que se jogue mais no Brasil. Para que as escolas, universidades, prefeitos, governos, motivem suas cidades. O grande exemplo está aí. Araraquara, São José, Centro Olímpico. São exemplos em que a prefeitura atuou ativamente em prol desse esporte, temos uma grande dificuldade de captação dessas atletas", pediu Vadão.

No Grupo 1, estão os paulistas Portuguesa e Centro Olímpico, os catarinenses Avaí e Chapecoense, o carioca Botafogo. No Grupo 2 estão as duas equipes que fizeram a final do Campeonato Paulista, Ferroviária e São José, além de Foz Cataratas (PR), Kindermann (SC) e Vasco da Gama (RJ); no 3 foram colocados São Francisco (BA) e Bahia, Duque de Caxias (RJ), Sport (PE) e Vitória (PE); por fim, o Grupo 4 é composto pelo Caucaia (CE), Iranduba (AM), Náutico (PE), Pinheirense (PA) e Viana (MT).

O investimento total feito pela Caixa gira em torno de R$ 10 milhões, entre gastos com transporte das atletas, hospedagens, arbitragem, ambulâncias, entre outros. Além desse dinheiro, a expectativa é de 15% do dinheiro deixado pela Fifa seja revertido ao futebol feminino, porém, apenas no próximo ano. "Sem a Caixa Econômica esses projetos relacionados com boa parte do esporte e particularmente o futebol feminino não seriam viáveis", disse Aldo Rebelo.

O Brasileirão Feminino será disputado em quatro fases: na primeira, os times colocados em grupos de cinco brigarão por duas vagas na próxima etapa. Depois, os classificados formarão chaveamentos de quatro cada, classificando também dois. Então, disputarão a semifinal e posteriormente a grande final. No mata-mata serão disputados jogos de ida e volta.

A primeira rodada contará com um clássico paulista. Depois de perder a decisão do Paulistão Feminino, a Ferroviária recebe o São José, às 15h30 (de Brasília), na Fonte Luminosa, em Araraquara. Os dois times são favoritos a venceram o Brasileirão. Ao lado do atual campeão, o Centro Olímpico de São Paulo, que venceu a edição passada com um gol de Cristiane, um dos destaques da seleção brasileira. A estreia da equipe será contra o Avaí, no Rodolpho Crespi, na capital paulista.

Vadão projeta sub 20 feminino e pede o incentivo das prefeituras

O técnico da seleção brasileira feminina, Vadão, esteve presente no evento de lançamento do Campeonato Brasileiro da modalidade e afirmou que estar poder prestigiar também um Brasileirão da base nos próximos anos. De acordo com o comandante, conseguir montar um torneiro sub 20 "já será uma vitória". Com ideias bem definidas, ele pediu para que "se jogue mais futebol feminino no Brasil".

"Como eu disse inicialmente, nós temos que jogar mais futebol feminino. Porque é difícil fazer um campeonato assim, precisa do patrocínio da Caixa. Então, o que nós precisamos para ter campeonatos sub 20, sub 15, é um número maior de clubes. Se conseguirmos um de sub 20, já é um grande avanço", disse.

De acordo com Vadão, tudo deve começar nas pequenas cidades, onde a prefeitura deveria apoiar o crescimento do esporte. A maior dificuldade é encontrar número suficiente de atletas para competirem durante todo o ano. O calendário, que é montado para quatro meses apenas, também é um empecilho. Ele, inclusive, seria o primeiro a ser alterado casso houvesse outros torneiros.

"A CBF pode organizar campeonato, mas precisa de time para jogar. As equipes têm muita dificuldade já na categoria principal. Precisamos ver isso para depois poder cobrar alguma coisa da CBF. Uma estrutura básica nas cidades para tentar conseguir os campeonatos de base. As prefeituras tem que caminhar juntas com a entidade", afirmou.

Questionado sobre os 20 times participantes do Brasileirão Feminino desse ano, o técnico disse que não participou da montagem, mas agradece a entrada de grandes nomes, como o Vasco da Gama, do Rio de Janeiro. Segundo ele, isso engrandece a disputa. Botafogo, Portuguesa, Bahia, Sport, Vitória e Náutico são outros nomes tradicionais.

"Eu não participei das montagens das equipes, mas houve um ranking e ele foi avaliado. Os times de camisa além de trazerem torcida, trazem a mídia, então eles passam a ser fundamentais na competição", finalizou Vadão.

Confira os jogos da primeira rodada do Brasileirão Feminino Caixa (horários de Brasília):

10/09 - Quarta-feira
15h30  - Foz Cataratas x Vasco da Gama
15h30  - Vitória x São Francisco
15h30  - Duque de Caxias x Bahia
20h00  - Caucaia x Náutico
15h30  - Iranduba x Pinheirense
15h30 Ferroviária x São José

11/09 - Quinta-feira
15h30  - Centro Olímpico x Avaí
15h30  - Botafogo x Portuguesa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.