Questionado sobre seu gol favorito, o suéco afirmou que foi o de bicicleta marcado em amistoso contra a Inglaterra

A fábrica de golaços não fechou. Isso é o que garante o craque sueco Zlatan Ibrahimovic, que chegou ao gol de número 50 com a camisa de sua seleção e prometeu fazer muitos mais. Para o craque, tudo começou em seu período na Juventus - entre 2004 e 2006 - onde trabalhou com o técnico Fabio Capello, que o aconselhou a assistir os vídeos dos melhores gols do holandês Marco van Basten.

O atacante sueco Ibrahimovic faz gol de letra no amistoso contra a Estônia
Claudio Bresciani/AP
O atacante sueco Ibrahimovic faz gol de letra no amistoso contra a Estônia

Fazendo a lição de casa, Ibra garante que aprendeu e aprimorou o seu modo de "fazer golaços". Na última quinta-feira, de letra, ele marcou o tento que o fez quebrar o recorde com a camisa da Suécia. Em 99 jogos, foram marcados os 50 gols. A marca o fez ultrapassar nomes como Sven Rydell, líder desde 1932. Na ocasião, o avançado credito aos fãs o sucesso, com a mensagem: "Sem vocês, não seria possível".

"Eu sabia que bateria esse recorde. Estou feliz, já espero há muito tempo por esse momento e acho que mereci. É uma sensação muito boa, mas tenho certeza que vou fazer muitos gols ainda pelo meu país e pelo Paris Saint-Germain. Eu me tornei esse goleador quando conheci Capello. Estávamos no Juventus e ele um dia me mostrou um vídeo dos melhores gols de Van Basten e disse: "Você precisa fazer que nem ele." Eu era jovem e aprendi muito com esse antológico jogador. Daquele dia em diante, eu comecei a marcar como os grandes", disse à Gazzetta dello Sport.

Questionado sobre seu gol favorito, Ibra afirmou que foi o de bicicleta marcado em amistoso contra a Inglaterra. Sobre a possibilidade de escrever um novo livro, ele deixou em aberto. "Vocês ainda não viram nada. É possível, pois eu ainda tenho muito a dizer", finalizou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.