Clube gaúcho foi eliminado da Copa do Brasil por causa de insultos racistas de seus torcedores contra Aranha, do Santos

Técnico do São Paulo , Muricy Ramalho disse considerar a exclusão do Grêmio da Copa do Brasil uma punição "muito pesada". No entanto, o treinador afirmou que a pena é necessária para acabar com a impunidade no Brasil. O time gaúcho foi eliminado da competição pelo SJTD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) por conta de insultos racistas de sua torcida contra o goleiro Aranha, do Santos.

Grêmio promete monitorar outros casos de ofensas racistas no Brasileirão

"É uma punição pesada, muito pesada. É difícil falar de algo que não se entende muito. O que eu acho é que do mesmo jeito que quando alguém ataca algo no gramado, o clube não é punido. Temos que acabar de vez com isso. No Brasil, estamos sem limites. Aqui é o país da impunidade. Pode falar o que quer, escrever o que quer e nada acontece. É uma punição pesada, mas duvido que alguém vai fazer isso de novo porque o próprio torcedor vai vigiar", afirmou Muricy logo após a vitória sobre o Criciúma, pela Copa Sul-Americana.

O são-paulino, assim como disse o advogado do Grêmio em sua tentativa de defesa no STJD, só teme que esta pena faça com que torcedores tentem usar do racismo para prejudicar seus rivais.

"Estávamos conversando na concentração. Precisa tomar cuidado porque pode aparecer um torcedor com uma camisa lá no meio só para prejudicar o time. No futebol tudo é possível", disse o técnico do São Paulo.

O Grêmio foi julgado na última quarta-feira e eliminado da Copa do Brasil pelo STJD. A decisão ainda cabe recurso. Até lá, o Santos, que bateu os gremistas por 2 a 0 no duelo de ida, já está garantido na semifinal da competição.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.