Tamanho do texto

"Nosso desempenho no Rio de Janeiro é muito bom, pois ganhamos a maioria dos jogos e ainda não fomos derrotados como mandante", disse o meia peruano Ramirez

O Botafogo venceu seus dois últimos compromissos no Campeonato Brasileiro, contra Chapecoense e Santos, ambos por 1 a 0, no Maracanã. Com 22 pontos conquistados, o time conseguiu abrir cinco da zona de rebaixamento, mas está longe de viver uma situação tranquila. Talvez pelo fato de que o desempenho longe do Rio de Janeiro (RJ) esteja longe de agradar.

Justamente por isso que os jogadores botafoguenses consideram fundamental um triunfo neste domingo, às 16 horas, quando o Glorioso visita o Atlético-MG na Arena Independência, em Belo Horizonte (MG), pela vigésima rodada.

Ignorando os clássicos cariocas, disputados em campo neutro, o Botafogo fez nove jogos fora de casa até este momento e venceu apenas uma vez, nos 2 a 0 sobre o Palmeiras, antes de o Campeonato Brasileiro ser paralisado para a disputa da Copa do Mundo. Logo após aquele jogo o time arrancou um empate por 1 a 1 com o Corinthians, em São Paulo (SP). Apenas nesses dois jogos o Glorioso conseguiu pontuar longe de seus domínios. Nas demais partidas na casa do rival, derrotas para São Paulo, Grêmio, Atlético-PR, Figueirense, Goiás, Sport e Bahia.

"No Campeonato Brasileiro é muito importante conseguirmos fazer a lição de casa e sabemos muito bem disso. Porém, o que faz um time conseguir subir bem na tabela de classificação é a pontuação que ele consegue longe de seus domínios. Nosso desempenho no Rio de Janeiro é muito bom, pois ganhamos a maioria dos jogos e ainda não fomos derrotados como mandante no nosso campo. Porém, só isso não está sendo suficiente para nos dar tranquilidade e precisamos de um bom resultado a começar por esse jogo com o Atlético Mineiro", analisou o meia peruano Cachito Ramírez.

O volante Gabriel reforça o discurso do companheiro: "Se formos analisar o nosso desempenho como mandante poderíamos estar brigando na parte de cima da tabela de classificação. Porém, a campanha longe do Rio de Janeiro é muito ruim e não está nos ajudando a atingir o nosso primeiro objetivo, que é sair logo de perto da zona de rebaixamento. Tenho convicção de que podemos começar a mudar essa história já contra o Atlético", disse Gabriel.

Já o lateral esquerdo Junior Cesar acredita que a vitória fora de casa no meio de semana sobre o Ceará, por 4 a 3, que rendeu a classificação para as quartas de final da Copa do Brasil, deve servir de estímulo: "Nós conseguimos um grande resultado fora de casa e nos comportamos muito bem, sempre buscando o jogo e não permitindo que o adversário controlasse as ações. Mesmo perdendo nós estávamos mais perto do gol e acabamos sendo premiados com um grande resultado. Isso deve servir de modelo para que a gente busque uma grande vitória sobre o Atlético Mineiro", disse Junior Cesar.

A escalação para este jogo deverá ser definida no treino deste sábado. O técnico Vagner Mancini tem muitos problemas. O lateral direito Edilson está suspenso por acúmulo de cartões amarelos. O meia Daniel, que deixou o duelo contra o Ceará reclamando de entorse no joelho direito, foi vetado. O volante Airton, com um problema na coxa direita, o meia Carlos Alberto, que se recupera de uma lesão no tornozelo direito, e o atacante Bruno Correa, com um estiramento na panturrilha esquerda, estão fora do jogo. Outro desfalque é o goleiro Jéfferson, que está servindo à Seleção Brasileira em amistosos internacionais. Após o treino deste sábado, a delegação embarca para a capital mineira.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.