Clube cobra CBF por melhorias no corpo de árbitros após a derrota que resultou na eliminação da Copa do Brasil

A eliminação amargada em casa diante do Botafogo, na última quarta-feira, deve repercutir por muito tempo no Ceará. Em nota oficial divulgada nesta quinta, a diretoria repudia incisivamente a arbitragem que atuou na derrota por 4 a 3 que resultou na queda na Copa do Brasil. Classificando as decisões de Emerson de Almeida Ferreira como "vergonhosas", o clube cobra a CBF por melhorias no corpo de árbitros.

"É lamentável ver um trabalho, que foi feito com tanto esforço, ser ignorado e jogado fora por decisões equivocadas de um trio de arbitragem", dispara o presidente Robinson Passos de Castro e Silva. "Os erros da arbitragem foram determinantes para a desclassificação do Ceará na Copa do Brasil. Lamento que, enquanto os clubes procuram atingir um nível de excelência em suas gestões, o mesmo não se pode dizer de diversos setores do futebol, sobretudo da arbitragem."

O clube alega que o árbitro inverteu faltas "nos dois tempos de jogo", chama atenção para o gol de Magno Alves equivocadamente anulado aos oito do segundo tempo e reclama de pênalti "surpreendentemente" não marcado pouco depois, quando Júnior César tocou com a mão na bola dentro de sua área.

Mas é a "curiosa atitude" do árbitro nos minutos finais do confronto que angaria o maior destaque do comunicado oficial. O clube lembra que Emerson de Almeida acresceu quatro minutos ao segundo tempo, mas não terminou a partida aos 49, permitindo que André Bahia eliminasse o Ceará da Copa do Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.