Atuais campeões mundiais sofrem com as muitas baixas - seja por lesão ou aposentadoria dos seus jogadores -, enquanto os sul-americanos estreiam novo técnico. Messi também não joga

No último dia 13 de julho, Alemanha e Argentina decidiam a Copa do Mundo no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, com os germânicos vencendo por 1 a 0 na prorrogação e conquistando o tetracampeonato. Agora, pouco menos de dois meses após a final, as duas seleções voltam a se enfrentar em amistoso que será realizado na cidade de Düsseldorf, ao oeste alemão - o duelo será nesta quarta-feira, às 15h45 (de Brasília).

Confira as fotos da final da Copa do Mundo:

Mesmo neste curto intervalo de tempo entre uma partida e outra, as duas equipes estão bastante modificadas em relação à decisão do Mundial. São muitos desfalques, principalmente do lado alemão, e até mudança de treinador por parte dos argentinos.

Da equipe campeã mundial, Lahm, Mertesacker e Klose se aposentaram e nem foram chamados. Os titulares Hummels, Boateng, Özil e Khedira estiveram na lista de convocados do técnico Joachim Löw para o amistoso, mas foram vetados. Assim como Schweinsteiger, que segue se recuperando de uma lesão no joelho e não joga.

E mais do que os desfalques, a Alemanha inicia uma nova era, já que Lahm era o capitão desde 2010, função que agora está a cargo de Schweinsteiger . Além disso, a equipe busca também um substituto para o veterano Klose, que por dez anos foi o titular no comando de ataque, chegando, inclusive, à artilharia máxima da história da seleção e das Copas.

Tata Martino é o novo técnico da Argentina
AFP
Tata Martino é o novo técnico da Argentina

Se por um lado a Alemanha tem muitos problemas para o amistoso, na Argentina a situação não é muito diferente. Melhor jogador da última Copa do Mundo, o atacante Lionel Messi não joga por conta de um desconforto muscular na coxa.

Juntam-se ao camisa 10 o zagueiro Ezequiel Garay, o meia Maxi Rodriguez e os atacantes Palacio e Lavezzi, todos com problemas físicos e que também foram vice-campeões no Brasil.

A principal mudança na seleção sul-americana com relação à decisão do Maracanã é no comando técnico. Tata Martino assumiu a equipe na vaga deixada por Alejandro Sabella e, a princípio, manteve a mesma base do seu antecessor, não chamando Tevez para a reedição da final da Copa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.