Tropeços neste início de temporada do futebol argentino provocaram a queda do treinador nesta quinta-feira

O técnico argentino Carlos Bianchi
Natacha Pisarenko/AP
O técnico argentino Carlos Bianchi

Maior campeão da Libertadores, com quatro título ao longo de sua carreira, Carlos Bianchi voltou ao Boca Juniors para recolocar a tradicional equipe argentina de volta ao caminho das grandes conquistas. O início desta temporada, porém, foi muito abaixo das expectativas, o treinador não suportou a pressão, e o clube anunciou sua demissão nesta quinta-feira.

O treinador conversou com Daniel Angelici, presidente do Boca Juniors, no início do dia, disse que desejava permanecer pelo menos até o próximo domingo, quando sua equipe volta a jogar pelo Campeonato Argentino. O mandatário teria aceitado a proposta, mas, em uma nova reunião dos dirigentes, foi decidido por unanimidade que Carlos Bianchi deveria ser demitido.

"Carlos tinha forças, queria seguir, queria trabalhar até o domingo. Se no domingo não obtivesse um resultado positivo, ele se despediria. Eu escutei ele, me reuni com alguns diretores, e foi tomada a decisão por unanimidade, pensando o que tudo isso significa, e com grande dor. Decidimos que era melhor que o ciclo terminasse hoje", disse o presidente do Boca Juniors.

A tradicional equipe argentina, que volta à Sul-Americana deste ano, estreando diante do Rosario Central, não faz um bom campeonato nacional. Após as quatro primeiras rodadas da competição, o Boca Juniors venceu apenas uma partida e perdeu as demais. Desta forma, ocupa a modesta 16ª posição, e tentará se recuperar no próximo domingo contra o Vélez Sarsfield.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.