Centroavante não balançava as redes desde 30 de março e Thiago ainda não havia feito um gol sequer no Brasileirão

Demorou, mas saiu. Leandro Damião acabou com seu jejum de gols que já perdurava desde 30 de março e abriu o placar para a vitória do Santos nesta quarta-feira. Thiago Ribeiro, outro que ainda não havia marcado neste Campeonato Brasileiro , também desencantou e, com o resultado de 2 a 0 sobre o Atlético-PR , a equipe paulista voltou a comemorar uma vitória nesta 16ª rodada, após três derrotas seguidas.

Damião, atacante do Santos, enfim voltou a balançar as redes
Friedemann Vogel/Getty Images
Damião, atacante do Santos, enfim voltou a balançar as redes

A noite só não foi perfeita para o time de Oswaldo de Oliveira porque Robinho sentiu um incômodo no músculo posterior da coxa direita e deixou o jogo ainda no primeiro tempo. O camisa 7 estava fazendo sua quarta partida seguida em apenas dez dias. O jogador fará exames para saber a gravidade da lesão, mas dificilmente deve ter condições de enfrentar o São Paulo na próxima rodada. Enquanto isso, Gabriel deve retornar nesta sexta e tem tudo para ser escalado no clássico.

O Santos encara o time do Morumbi, às 16h de domingo. No mesmo dia, o Atlético-PR recebe o Bahia na Arena da Baixada, em Curitiba, às 18h30. Com a vitória desta quarta, o Santos chegou aos 23 pontos, assim como Atlético-PR, mas assumiu o sétimo lugar na tabela de classificação, deixando seu rival em nono.

Jogo aberto e Damião desencanta
Com as duas equipes precisando da vitória para reagir na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro, Santos e Atlético-PR buscaram o ataque desde o apito inicial. Mesmo fora de casa, os paranaenses não se intimidaram e até começaram melhor o jogo.

Aos 8 minutos, Aranha salvou os donos da casa após escorregão de Edu Dracena dentro da área. Cléo encheu o pé, mas a bola foi no centro do gol. No contra-ataque, Lucas Lima arriscou jogada individual, mas também chutou fraco, nas mãos de Weverton.

O jogo era lá e cá, com o meio de campo muito aberto e com os times procurando sempre jogar com a bola no chão.

Após os 20 minutos iniciais, o Santos passou a equilibrar o jogo e criar chances de gol. Robinho comandava o ataque e chamava a marcação, deixando espaços para Thiago Ribeiro e Leandro Damião. O centroavante, muito pressionado pela torcida a cada erro, quase marcou em duas oportunidades, mas primeiro viu o goleiro adversário defender seu peixinho e depois lamentou a falta de pontaria em rebote dentro da área.

Aos 24, o lance que fez a Vila Belmiro se calar. Robinho arrancou pela esquerda, pedalou ao seu estilo e, ao tocar a bola, sentiu a coxa direita e caiu com a mão no local. O camisa 7 precisou ser substituído por Rildo e foi direto para os vestiários.

O Santos, no entanto, não se deixou abater e logo no primeiro lance sem o ídolo, Thiago Ribeiro só não marcou de cabeça porque Weverton operou um milagre.

E, após tanto insistir, o time acabou premiado com um gol aos 44. Cicinho foi mais esperto, roubou a bola na área adversária e cruzou para Leandro Damião só escorar para o gol. O camisa 9 festejou muito o fim do jejum que durava desde 30 de março.

"É bom demais, mas o importante é o time vencer, não adianta nada eu fazer gol e o time não vencer", salientou Damião após o fim do primeiro tempo.

Enfim, vitória
Antes de deixar o campo rumo ao vestiário, o Atlético-PR se uniu no meio do campo e fez uma reunião curiosa, mas que demostrava a insatisfação do time com o resultado. E no retorno para a etapa complementar, foi possível perceber a mudança de postura do time comandado por Doriva.

Desde o início pressionou o Santos no campo de defesa, buscando sempre as jogadas com Douglas Coutinho e Marcelo. Porém, apesar de ter mais posse de bola, o rubro-negro não conseguia criar uma chance clara.

Enquanto isso, o Santos passou a ser perigoso nos contra-ataques rápidos. Aos 12, Rildo tabelou com Damião e perdeu um gol incrível, de frente para a meta, já dentro da área. O atacante bateu de primeira, mas a bola foi direto para fora.

A torcida também passou a ficar mais aflita e o jogo picado pela arbitragem, com muitas faltas.

Mas a tranquilidade santista veio aos 21. Arouca carregou pelo meio e rolou para Rildo na esquerda, que cruzou na cabeça de Thiago Ribeiro. Desta vez o camisa 11 não desperdiçou e também marcou seu primeiro gol neste Campeonato Brasileiro.

O gol desanimou a equipe de Doriva, que sentiu o segundo gol e não levou mais perigo até o fim da partida. Já o Santos, com o jogo resolvido, passou a administrar o resultado.

Mas ainda deu tempo do técnico Oswaldo de Oliveira sacar Damião para, quem diria, ver a torcida aplaudir o camisa 9. Thiago Ribeiro, tão criticado pelos gols perdidos nos últimos jogos, também deixou o jogo com seu trabalho reconhecido pelos torcedores.

No último minuto, já com os torcedores deixando a Vila Belmiro, David Bráz fez pênalti, mas Marcelo acertou o travessão na cobrança e apenas ratificou a vitória santista.

FICHA TÉCNICA - SANTOS 2 X 0 ATLÉTICO-PR
Local: Estádio Urbano Caldeira, Vila Belmiro, em Santos (SP) 
Data: 20 de agosto de 2014, quarta-feira 
Horário: 19h30 (de Brasília) 
Árbitro: Igor Junio Benevenuto (MG-CBF-1) 
Assistentes: Celso Luiz da Silva (MG-CBF-1) e Marcus Vinicius Gomes (MG-CBF-1) 
Público: 4.612 torcedores
Renda: R$ 129, 285 
Cartões amarelos: Léo Pereira e Dráusio (Atlético-PR) 

Gols: SANTOS: Leandro Damião, aos 44 minutos do primeiro tempo, e Thiago Ribeiro, aos 21 do segundo tempo

SANTOS: Aranha; Cicinho, David Bráz, Edu Dracena e Mena; Alison, Arouca e Lucas Lima, Thiago Ribeiro (Stéfano Yuri), Robinho (Rildo) e Leandro Damião (Souza)
Técnico: Oswaldo de Oliveira

ATLÉTICO-PR: Weverton, Sueliton, Dráusio, Léo Pereira e Natanael; Deivid, João Paulo, Bady (Dellatorre) e Marcos Guilherme (Douglas Coutinho); Marcelo e Cléo
Técnico: Doriva

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.