Atacante é o principal ídolo do Peru, mas pede não não viajar para jogos contra Iraque e Catar no início de setembro

Guerrero pediu para não jogar amistosos com o Peru no início de setembro
AP
Guerrero pediu para não jogar amistosos com o Peru no início de setembro

Principal jogador da seleção peruana, o centroavante Paolo Guerrero está mais preocupado com o Corinthians neste momento. Ele avisou nesta segunda-feira que pretende ser liberado dos amistosos contra Iraque e Catar para continuar a colaborar com o técnico Mano Menezes no Campeonato Brasileiro e na Copa do Brasil.

Veja a classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias do Brasileirão

"Nessa fase, gostaria de ajudar o Corinthians. Estamos jogando pela liderança do Campeonato Brasileiro, o que é muito importante. Temos o objetivo de conquistar o título. Sou parte da seleção, mas vamos ver o que se pode fazer. Definitivamente, quero ficar aqui e auxiliar o Corinthians. Serão jogos importantes. Vamos ver", comentou.

O Peru enfrentará o Iraque em 5 de setembro, em Dubai, e o Catar no dia 9, em Doha. Dessa maneira, Guerrero seria impedido de jogar contra o Criciúma, no dia 7, e provavelmente contra o Atlético-MG, no dia 11. A sua participação no jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil, contra o Bragantino, também estaria em risco.

"O Peru está com um novo treinador ( o uruguaio Pablo Bengoechea ), que vem experimentando novos jogadores. Se me perguntarem e houver possibilidade, vou ficar aqui e ajudar o meu time. O Corinthians está em uma fase em que precisa ganhar todos os jogos para não ficar longe da liderança do Brasileiro", insistiu o ídolo peruano e corintiano.

Preocupado com a situação de Paolo Guerrero, o técnico Mano Menezes tem usado as convocações da seleção peruana para enfatizar a necessidade de o Corinthians contratar mais um reforço para o ataque. Nilmar é a grande ambição do comandante. O atleta peruano prefere não abordar o assunto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.