Encostado pela diretoria no CT de Cotia, argentino leva vida de rei com R$ 150 mil por mês pelo menos até junho de 2015

Encostado pelo São Paulo em Cotia no começo de abril, Clemente Rodríguez tem levado uma vida invejável. No CT das divisões de base, onde se tornou ídolo da garotada, o argentino segue rotina de trabalho reduzida em comparação com a que tinha no plantel principal, e isso lhe tem oferecido tempo livre muito maior, o qual ocupa como dono de casa, passeando ou fazendo compras com a namorada.

Clemente Rodríguez está levando vida de bon vivant já que não está nos planos do São Paulo
Reprodução/Instagram
Clemente Rodríguez está levando vida de bon vivant já que não está nos planos do São Paulo


Trazido em junho de 2013 para solucionar os problemas da lateral esquerda, o ex-jogador do Boca Juniors (pelo qual foi campeão mundial e três vezes campeão da Copa Libertadores) disputou apenas três partidas com a camisa tricolor, tendo sido expulso na estreia. Além das atuações ruins, suspensões e uma lesão muscular na coxa atrapalharam seu início no clube, e ele passou a ser ignorado pelos treinadores até finalmente ser liberado para negociar.

Leia também: Vice vai a treino e cobra elenco por eliminação na Copa do Brasil

Nenhuma sondagem se concretizou para que o São Paulo deixasse de arcar com os cerca de R$ 150 mil mensais que se comprometeu a pagar ao longo de dois anos de contrato - o acordo é válido até o fim de junho de 2015. Clemente também não faz esforços para sair, principalmente porque recebe um salário muito bom para os padrões argentinos. Por isso, prefere se submeter a treinar somente com menores de idade em Cotia - de segunda a sexta-feira - em vez de, aos 33 anos, ganhar menos e sofrer mais em uma equipe menor.

Clemente Rodríguez entre afazeres domésticos e com amigo em um churrasco
Reprodução/Instagram
Clemente Rodríguez entre afazeres domésticos e com amigo em um churrasco

A convivência com os garotos na cidade vizinha da capital paulista lhe faz bem, a propósito. Para os jovens são-paulinos, apesar da situação incômoda atual, a carreira do argentino, repleta de títulos ao lado do amigo Juan Román Riquelme, é uma inspiração. Se na Barra Funda era visto como supérfluo e relegado a reserva do anteriormente desconhecido Reinaldo, lá ele é tratado como um ídolo e paparicado, como mostram fotografias de juniores em redes sociais.

Como o veterano é avesso a entrevistas para a imprensa brasileira, é pela internet também que se pode notar como anda sua vida no período afastado do plantel principal de Muricy Ramalho. Por meio de imagens datadas do Instagram, é possível saber que, recentemente, ele viajou para Miami (onde passeou de jet ski e se divertiu como DJ de uma festa particular) e também esteve no Maracanã assistindo à derrota da Argentina para a Alemanha, na final da Copa do Mundo. Que tem frequentado praias brasileiras, teatros, restaurantes e lojas de grife da capital paulista.

"Para alguns, a vida é dura. Para outros, não tanto", escreveu a namorada, na legenda de uma fotografia em que Clemente veste uma camisa de marca e toma champanhe. Em outra imagem, ela tira sarro do companheiro, que está em cima de uma cadeira, trocando a lâmpada de casa. "A nova profissão do Clemente. Se alguém precisar de eletricista...", brincou. A mais recente publicação foi na última segunda-feira, noite em que o casal saiu para jantar em um shopping.

No dia seguinte, o São Paulo fechou a contratação de um novo jogador de sua posição. Depois de buscar o uruguaio Álvaro Pereira (atual titular, acima de Reinaldo) no futebol italiano, o clube contratou o brasileiro Michel Bastos, que é lateral esquerdo de origem, mas pode atuar também no meio-campo ou no ataque. Após a apresentação do jogador, na quinta-feira, o presidente Carlos Miguel Aidar ainda não tinha certeza de qual será o futuro de Clemente. Por enquanto, ele segue sendo ídolo em Cotia, dono de casa e, sobretudo, um bom vivant.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.