Clube foi rebaixado pelo STJD ao término do último Brasileiro e vive situação muito delicada na segunda divisão do Nacional

Ilídio Lico, presidente da Portuguesa, está com dificuldades no comando do clube
Wagner Meier/Agif/Gazeta Press
Ilídio Lico, presidente da Portuguesa, está com dificuldades no comando do clube

Os últimos meses da Associação Portuguesa de Desportos têm deixado os torcedores de cabelos brancos. Após amargar batalhas judiciais, ser rebaixada em julgamento e entrar em parafuso na Série B do Campeonato Brasileiro, o clube completa 94 anos nesta quinta-feira tentando dar a volta por cima na temporada e em sua história.

Desde o título paulista de 1935, o primeiro de sua história, a Portuguesa ganhou corpo e cresceu no cenário nacional. A goelada por 4 a 1 sobre o Botafogo no Rio-São Paulo disputado nos primeiros meses dos anos 40 fez a equipe comandada pelo uruguaio Conrado Ross chamar a atenção do Brasil inteiro pela primeira vez.

Voos mais altos foram alçados em 1951, quando a equipe fez bonito na Europa ao bater grandes clubes turcos e derrotar o Atlético de Madri em plena capital espanhola. Do time que tinha Djalma Santos, Brandãozinho e Pinga, outros grandes feitos foram celebrados em gramados nacionais, como a grande atuação de Julinho Botelho que rendeu goleada por 7 a 3 sobre o Corinthians de Gilmar dos Santos Neves. Além dos dois títulos do Rio-São Paulo, a Lusa ainda fez bonito na década ao enfiar 8 a 0 no Santos em 1955 e inaugurar o antigo Canindé no ano seguinte.

Os anos 60 reservaram nova goleada sobre o Corinthians, desta vez por 7 a 0, comandada por Servílio e companhia. A perda do título paulista de 64 pelas mãos de Armando Marques não abalou o clube, que inaugurou o novo estádio, Dr. Oswaldo Teixeira Duarte, oito anos depois. As maiores glórias da Portuguesa, porém, talvez tenham sido festejadas na década de 90. As boas campanhas estaduais cimentaram o caminho para o vice-campeonato nacional em 1996, e a vaga na final do Campeonato Paulista só foi perdida dois anos depois devido à contestável atuação do árbitro Javier Castrilli.

As maiores dificuldades começaram a surgir nos anos 2000, sem grandes feitos e alguns fracassos para esquecer, como o rebaixamento à Série A2 do Paulistão. O jejum de campanhas expressivas foi quebrado em 2011 com o título da Série B do Campeonato Brasileiro. Apelidada de "Barcelusa", a equipe comandada por Jorginho voltou à elite com muita propriedade, mas não conseguiu manter o ritmo na primeira divisão nacional.

O baque sofrido na última temporada abalou o clube. Permanecendo na Série A no campo, a Portuguesa acabou rebaixada no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e atualmente sofre bastante na segunda divisão nacional. Amargando a penúltima colocação, o time do Canindé não vence há seis partidas e afunda na zona de rebaixamento a cada rodada. Tentando a volta por cima na temporada, o clube se apega aos tempos de glória e reúne força nos 94 anos de história para, quem sabe, um dia voltar a ser a Portuguesa de outrora.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.