Clube foi julgado por uma suposta escalação irregular do atleta Cristiano no início do Brasileirão, mas teve a defesa aprovada

Em julgamento realizado no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) nesta quinta-feira, os promotores absolveram o Criciúma por conta da escalação irregular do atacante Cristiano. O caso aconteceu na partida contra o Goiás, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro .

Com a medida, a equipe catarinense não perderá mais os três pontos retirados no primeiro julgamento do caso. Com a pontuação normal, o Criciúma sobe quatro posições e, além de se juntar à Chapecoense com 15 pontos, fica mais distante da zona da degola.

No dia 24 de julho, o clube já havia conquistado um efeito suspensivo e garantido o retorno dos pontos. O julgamento desta quinta-feira poderia modificar a resolução do caso. O Criciúma também usou a demissão do diretor de registros da CBF na defesa do caso.

Diante do Goiás, o Criciúma acabou superado por 1 a 0 fora de casa, e acabou denunciado no artigo 214 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que indica: "Incluir na equipe, ou fazer constar da súmula ou documento equivalente, atleta em situação irregular para participar de partida, prova ou equivalente".

Assim, a pena imposta é a "perda do número máximo de pontos atribuídos a uma vitória no regulamento da competição, independentemente do resultado da partida, prova ou equivalente, e multa de R$ 100 (cem reais) a R$ 100.000 (cem mil reais)".

Na época em que defendia o Naviraiense-MS, Cristiano foi expulso por agredir um adversário e foi punido com cinco jogos de suspensão. Porém, só cumpriu um, no duelo contra o Paysandu, pela Copa do Brasil. Como não disputou mais competições nacionais, não terminou de concluir a pena imposta. A diretoria catarinense afirma que, quando contratou o jogador, não havia restrições, já que o atleta havia disputado o Campeonato Paranaense normalmente.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.