Classificação às oitavas de final da Copa do Brasil só não é colocada em risco por causa da vitória ampla no primeiro duelo

O gramado era no padrão pedido por Mano Menezes, e o adversário tinha tanto interesse no jogo que entrou em campo na Fonte Nova repleto de reservas. Mesmo assim, o Corinthians teve mais uma atuação muito ruim e perdeu por 1 a 0 para o Bahia.

A classificação às oitavas de final da Copa do Brasil só não foi colocada em risco porque os donos da casa perderam as oportunidades que apareceram para ampliar. No jogo de ida, a formação paulista havia triunfado por 3 a 0 e se colocado em posição confortável.

Maxi Biancucchi e Fábio Santos disputam a bola pelo alto durante jogo entre Bahia e Corinthians
Felipe Oliveira/VIPCOMM
Maxi Biancucchi e Fábio Santos disputam a bola pelo alto durante jogo entre Bahia e Corinthians


O time preto e branco, por isso, também tinha alguns reservas do meio para a frente. O lateral direito Guilherme Andrade foi outro que acabou entrando por causa da contusão de Fagner e fez um gol contra - usando o pé e o rosto - aos 31 minutos do primeiro tempo.

O Corinthians até melhorou após o intervalo, com a boa entrada do paraguaio Ángel Romero, mas o saldo foi a primeira derrota após dez jogos e preocupação para o clássico de domingo, contra o Santos, na Vila Belmiro. O próximo adversário na Copa do Brasil será definido em sorteio.

Padrão Brasil
Sem Jadson e Guerrero, com problemas musculares, Mano Menezes optou por não utilizar também Elias, Romarinho e Romero, titulares no último jogo. Deslocou Petros para a direita, botou Danilo na esquerda e deixou Renato Augusto livre para atacar com Luciano.

Não deu resultado porque o Corinthians encontrou muita dificuldade para tocar a bola. Eram frequentes os erros de passe na saída. Quando a bola chegava aos pés dos meias, dali não saía com qualidade, especialmente pelas falhas de um Danilo que já não suporta mais o ritmo do jogo.

A equipe alvinegra ainda demonstrava um nervosismo além da conta, exibido pela primeira vez quando Gil deixou o pé em Maxi depois de afastar uma bola. Os visitantes só levaram perigo em chutes de seus zagueiros em um rebote, dos quais se safaram o Bahia.

Criando problemas para o rival, os donos da casa começaram a se animar. Maxi Biancucchi tomou a bola de Cleber e parou em Cássio. Na sequência, um cruzamento foi mal cortado, e a bola se apresentou a Jeam, que tentou um giro e desperdiçou a chance pegando muito mal.

Na metade do primeiro tempo, Fagner deixou o campo com dores na perna esquerda, dando lugar a Guilherme Andrade. E o lateral direito - possível titular no clássico de domingo, contra o Santos, na Vila Belmiro - permitiu ao time tricolor sonhar com a classificação.

Em um dos muitos momentos em que o Corinthians esbarrou em seus erros de passe e não conseguiu sair, Railan - sempre perigoso nos avanços pela direita - cruzou rasteiro. Andrade tentou jogar para fora no segundo pau, mas a bola bateu em seu rosto e entrou no canto direito de Cássio.

Piorar não dava
Após um primeiro tempo que ainda teve o punho de Renato Augusto acertando o rosto de Léo Gago, sem que qualquer cartão fosse mostrado, Mano fez uma análise precisa do que vira nos 45 minutos iniciais. "A gente simplesmente não jogou, né? Precisamos melhorar ou vamos correr risco de desclassificação."

Como piorar era difícil, melhorar. Romero substituiu Danilo e entrou bem. Ora caindo pela esquerda, ora pela direita, o paraguaio começou a criar problemas para a defesa adversária. Ele deu profundidade às jogadas, fazendo frequentes lances de linha de fundo e conseguindo cruzamentos.

Não foi nada digno de muitos elogios, mas o Corinthians ao menos conseguiu se manter um pouco mais no campo de ataque. Não criou nenhuma oportunidade em suas chegadas até os 20 minutos derradeiros, quando o Bahia se lançou à frente com maior ímpeto.

Entraram Wiliam Barbio e Branquinho. O primeiro deixou Maxi Biancucchi na cara do gol em cruzamento rasteiro da direita, mas o primo de Messi mostrou ter genes diferentes do craque, pegando fraco na entrada da pequena área. Para a última investida, foi acionado o garoto Bruno Paulista.

Mano respondeu com Elias, que roubou de Léo Gago e serviu Romero em sua primeira jogada. Lomba evitou o gol com o pé direito. Já sem a possibilidade de buscar os dois tentos que levariam a disputa para os pênaltis, o Bahia pouco fez nos minutos derradeiros. O Corinthians sobreviveu na Copa do Brasil, mas deixou péssima impressão.

FICHA TÉCNICA -  BAHIA 1 X 0 CORINTHIANS
Local:
estádio Fonte Nova, em Salvador (BA)
Data: 6 de agosto de 2014, quarta-feira
Horário: 22h (de Brasília)
Árbitro: Charles Hebert Cavalcante Ferreira (AL)
Assistentes: Pedro Jorge Santos de Araújo (AL) e Adeilton Guimarães da Hora (AL)
Cartões amarelos: Lucas Fonseca (Bahia); Guilherme Andrade (Corinthians)
Público: 5.722 pagantes
Renda: R$ 202.381,00

Gol
Guilherme Andrade (contra), aos 31 minutos do primeiro tempo

BAHIA: Marcelo Lomba; Railan, Lucas Fonseca, Demerson e Guilherme Santos; Feijão (Bruno Paulista), Rafael Miranda, Léo Gago e Emanuel Biancucchi (Wiliam Barbio); Maxi Biancucchi e Jeam (Branquinho)
Técnico: Charles Fabian

CORINTHIANS: Cássio; Fagner (Guilherme Andrade), Cleber, Gil e Fábio Santos; Ralf, Bruno Henrique, Petros e Danilo (Romero); Renato Augusto e Luciano (Elias)
Técnico: Mano Menezes

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.