Meia Preto foi punido por dois jogos após expulsão na Copa do Brasil, mas estava sem contrato com o time gaúcho em uma das partidas cumpridas, o que invalidaria o gancho

O que era sonho para os torcedores do Novo Hamburgo se tornou pesadelo em questão de horas. Após conquistar uma vaga inédita nas oitavas de final da Copa do Brasil , a equipe anilada pode ser eliminada do torneio estadual, por escalação irregular. O pivô da polêmica é o experiente meia Preto, responsável por uma assistência na vitória sobre o ABC-RN (2 a 0), no Estádio do Vale.

Preto recebeu uma punição de dois jogos, após expulsão sofrida contra o J.Malucelli, no dia 1º de maio. Assim, não atuou no compromisso de volta contra o Jotinha, tão pouco contra o Mais Querido, em Natal. Assim, não teria pendências judiciais para figurar no duelo em solo gaúcho.

Entretanto, antes do apito final, a arbitragem constatou, no sistema de súmulas online da CBF, que havia irregularidade na situação do meia. Entretanto, o time bancou a escalação do atleta. No entanto, o problema diz respeito à ausência de contrato do clube com o jogador, no primeiro encontro diante dos potiguares, fato que invalidaria o gancho cumprido.

Quando questionado sobre a situação, o presidente da Federação Gaúcha de Futebol, Francisco Noveletto, mostrou-se surpreso, mas admitiu que a permanência do Novo Hamburgo na Copa do Brasil é complicada. "Quando me ligaram falando disso, quase enfartei. O presidente do clube falou comigo chorando. Acredito que eles não joguem mais no segundo semestre. Só um milagre pode salvar a vaga", ressaltou, em entrevista ao Jornal NH.

O advogado do clube, Marcelo Kern, garantiu que Preto estava regular. Já o supervisor de futebol, Elói Santos, acabou hospitalizado após receber a má notícia e não possui previsão de alta.

Jogador esclarece os fatos - Pivô da polêmica, Preto também se assustou com a repercussão do caso, mas mostrou indecisão ao tratar dos assuntos contratuais. "O pessoal estava cuidando da renovação de outros jogadores e me perguntaram quando vencia meu contrato. Disse que era em julho, mas não tinha certeza. Para mim, estava liberado. Confio nas pessoas envolvidas. Por isso fui ao jogo", disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.