Tamanho do texto

Ronaldo Ximenes comentou a denúncia do tribunal sobre as cadeiras quebradas no Itaquerão após clássico com Palmeiras

O diretor de futebol do Corinthians , Ronaldo Ximenes, estava sorridente ao anunciar a renovação de contrato do zagueiro Gil até 2018 . Questionado sobre a possibilidade de punição do clube pela quebra de cadeiras no setor de visitantes do estádio de Itaquera , no Dérbi do último domingo, mudou o semblante.

"O STJD adora aparecer. E vai aparecer em cima dos grandes, do Corinthians, do maior clube do Brasil. O Corinthians dá Ibope", afirmou o dirigente. "Se o STJD levar isso a sério, será motivo de parar nos órgãos regulam a disciplina. Se o Corinthians for prejudicado, será motivo de ainda mais descrédito."

Zagueiro encerra contrato com o Corinthians sem um minuto em campo

No clássico do último fim de semana, 258 cadeiras foram quebradas na parte do estádio onde ficaram os torcedores do Palmeiras. Alguns chegaram a publicar as imagens em redes sociais, cientes de que o clube alviverde seria cobrado. "Põe na conta do Nobre", escreveram, referindo-se ao presidente Paulo Nobre.

Os dois times envolvidos no Derby foram denunciados no artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que fala em "deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir desordens". Em caso de punição no Superior Tribunal de Justiça Desportiva, a pena pode chegar à perda de dez mandos de campo.

"Eu espero e ainda acredito no bom-senso", disse Ximenes, chamando os homens que quebraram as cadeiras de "delinquentes, marginais que frequentam estádio de futebol". "Ainda acredito. Que o STJD possa fazer a análise mais correta e justa e não jogue a responsabilidade em cima do Corinthians. O Corinthians não é culpado."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.