Contratado durante a parada para a Copa do Mundo, técnico precisou de três rodadas para levar time à quarta colocação

Contratado pelo Avaí durante a parada para a Copa do Mundo, o técnico Geninho chegou com a missão de levar o time ao G-4 da Série B do Brasileiro e, após três rodadas, o objetivo foi alcançado, chegando ao quarto lugar. Fato que gera surpresa do treinador.

"Eu esperava chegar no G-4, mas estou surpreso de alcançarmos tão rápido. Agora é tentar manter e não deixar o pelotão de cima se afastar. O ideal é entrar e ficar no último terço do campeonato porque isso motiva o grupo, é a reta final", disse o comandante, em entrevista ao programa Debate Diário, da rádio CBN, de Santa Catarina, na última terça-feira.

Confira a tabela completa, classificação, artilharia e notícias da Série B

Com 23 pontos até o momento, o Avaí tem a meta de alcançar mais sete no primeiro turno, de acordo com o treinador. O time terá mais seis jogos até a 19ª rodada, onde serão disputados 18 pontos. "Acredito que viramos o turno com pelo 30 pontos que é a nossa meta. E o returno fica mais complicado porque os confrontos se acirram porque não vou ter outra chance de buscar aqueles pontos", disse.

Geninho também fez questão de acalmar o ânimo da torcida quanto a reforços. O técnico já não conta mais com essa possibilidade por conta das dificuldades financeiras do clube e avisou que o elenco atual não terá modificações para o restante da Série B e Copa do Brasil: "O que eu pedi e o que precisa faz parte do passado. Hoje o grupo é esse e é com ele que vamos. Não vamos enganar o torcedor porque o Avaí não tem condições de contratar ninguém", ressaltou.

Por fim, o comandante ainda disse que gosta de um jogador "bandido", que resolva uma partida. Para o treinador, uma equipe que deseja ser vencedora, deve ter um atleta com esse perfil. "Eu gosto de um jogador bandido, encrenca, mas que resolve. Nunca vi um time ser campeão sem um bandido. Eu tive o Kleber Pereira, artilheiro do Brasil no Santos, que dava trabalho no extracampo. Aliás, vocês têm um aqui bem perto. O Jael do Joinville é um problema, mas é o artilheiro do time e do campeonato e vive uma boa fase. Mas hoje o bandido é diferente, é o zagueiro que chega firme e eu gosto desse cara", afirmou.

O Avaí continua sua missão do acesso nesta sexta-feira, às 21h (de Brasília), contra o Luverdense, na Ressacada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.