Goleiro não segurou chute de Wellington Silva que deu a vitória à equipe gaúcha por 1 a 0 em plena Fonte Nova

Palco de alguns dos melhores jogos da Copa, a Fonte Nova viveu uma noite longe do mesmo nível apresentado no Mundial. Com pouco mais de cinco mil torcedores presentes, Bahia e Internacional fizeram um jogo engessado, repleto de passes errados e com apenas 40% do tempo de bola rolando. Um frango do Marcelo Lomba em chute de Wellington Silva é que deu a vitória à equipe gaúcha, por 1 a 0, em partida da 12ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Wellington Silva, autor do gol do Inter diante do Bahia, é marcado por Henrique
Felipe Oliveira/Agif/Gazeta Press
Wellington Silva, autor do gol do Inter diante do Bahia, é marcado por Henrique

O primeiro tempo foi tecnicamente muito fraco e com poucos lances de gol. Com um esquema cauteloso, o Bahia soube controlar bem um Inter pouco criativo, mas chegava pouco ao ataque por conta de suas fragilidades técnicas. O Bahia voltou mais animado para a etapa final, mas, quando dominava o jogo, acabou vitimado pela fatalidade ocorrida com seu goleiro e conheceu mais uma derrota em casa na competição.

O Tricolor Baiano segue em 16º, com 9 pontos, mas pode entrar na zona de rebaixamento neste domingo. Já o Inter fecha o sábado na vice-liderança, com 22 pontos. O Colorado volta a campo quarta, pela Copa do Brasil, contra o Ceará, no Beira-Rio. Já o Bahia descansará no meio de semana. Domingo que vem, visitará o Palmeiras.

Veja como está a classificação do Campeonato Brasileiro

O jogo

A primeira etapa foi equilibrada, apresentando alternância de domínio entre as equipes, mas tecnicamente muito fraca. O Inter começou um tanto confuso, permitindo ao Bahia terreno para avançar. Em duas boas chegadas, o time da casa foi bloqueado na hora da conclusão: aos três minutos, Fabrício impediu o chute de Kieza; aos cinco, Wellington Silva desarmou Rhayner. Aos sete, no primeiro chute efetivamente realizado, Léo Gago mandou por cima.

Aos poucos, o Internacional começou a se encontrar no jogo. Com mais posse de bola desde o princípio, o time gaúcho passou a achar espaços. Aos 13, Fabrício arrematou em curva de direita e quase achou o cantinho de Marcelo Lomba. Dez minutos mais tarde, Alan Patrick furou após receber passe de Rafael Moura na área.

Diante de um Colorado sem imaginação com a bola nos pés, o Bahia aos poucos se encorajou a tentar o ataque também. Aos 33, a melhor chance da etapa inicial: após cruzamento de Branquinho, Uelliton dominou sozinho na área. De frente para o gol, da marca do pênalti, chutou para fora. No minuto seguinte, Branquinho chutou fraco e Dida pegou.

Sem D’Alessandro, que sentiu um desconforto muscular, o Inter voltou ainda menos criativo para o segundo tempo. O Bahia é quem controlava as ações, e agora o time gaúcho buscava os contra-ataques. Aos 10 minutos, Uelliton cobrou falta buscando o ângulo e quase encobriu Dida. O Inter respondeu aos 14, em chute forte de Alex bem defendido por Marcelo Lomba, de espalmada.

O goleiro baiano, porém, falharia decisivamente aos 20 minutos. Ao tentar encaixar um chute de Wellington Silva, Lomba deixou a bola escapar de suas mãos e engoliu um frangaço: Inter 1 a 0, quando o Bahia era melhor no jogo. O gol desanimou o time da casa, que só foi levar perigo de novo aos 38, em falta cobrada por Uelliton por cima do gol.

FICHA TÉCNICA
BAHIA 0 x 1 INTERNACIONAL

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)
Data: 26 de julho de 2014, sábado
Horário: 21h (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-SC)
Assistentes : Kleber Lúcio Gil (Fifa-SC Carlos Berkenbrock (SC)
Público: 5.308 (5.221 pagantes)
Renda: R$ 156.873,00
Cartões amarelos: Uelliton e Léo Gago (Bahia); Juan e Alan Patrick (Internacional)
Gol: INTERNACIONAL: Wellington Silva, aos 20 minutos do segundo tempo

BAHIA: Marcelo Lomba; Roniery, Adaílton, Titi e Pará; Uélliton, Léo Gago e Branquinho (William Barbio); Kieza, Henrique (Emanuel Biancucchi) e Rhayner (Rafinha)
Treinador : Marquinhos Santos

INTERNACIONAL: Dida; Wellington Silva, Paulão, Juan e Fabrício; Willians, Wellington, Alex (Ygor), D’Alessandro (Eduardo Sasha) e Alan Patrick (Cláudio Winck); Rafael Moura
Técnico: Abel Braga

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.