Tamanho do texto

Português acredita que o meia não vá ter problemas para se adaptar ao futebol espanhol e a seu novo clube, o Real Madrid

André Villas-Boas comandou o meia colombiano no Porto
John Powell/Getty Images
André Villas-Boas comandou o meia colombiano no Porto

O colombiano James Rodríguez foi a grande aposta do Porto quando o técnico André Villas-Boas estava no comando da equipe. O então garoto de 19 anos chegou para ser um camisa 10 clássico, função diferente da que exercia no Banfield, da Argentina, onde jogava mais pela esquerda. "Quando ele chegou, era muito tímido e também um pouco irresponsável na marcação e na pressão quando perdíamos a bola. Ele precisava se cobrar mais na época", recorda o técnico ao portal espanhol Marca.

Villas-Boas diz que a adaptação de James não foi fácil. "As oportunidades tardavam a chegar, porque tínhamos Hulk e Varela jogando bem e com a equipe ganhando as partidas. Ficou uns dois ou três meses sem jogar. Estreou no fim de outubro no Campeonato Português . Depois da classificação à Liga Europa , começamos a dar-lhe mais espaço e o talento começou a aparecer. Com a lesão de Falcao em janeiro seguinte, Hulk passou a jogar como atacante e James encontrou seu espaço", contou.

O Real Madrid pagou 84 milhões de euros ao Monaco por James Rodríguez, artilheiro da Copa
Getty Images
O Real Madrid pagou 84 milhões de euros ao Monaco por James Rodríguez, artilheiro da Copa

O ex-treinador de James garante que o colombiano não encontrará dificuldades para se adaptar ao futebol espanhol, mas pede total liberdade ao jogador de 22 anos. No Real Madrid, ele poderá ter a companhia do alemão Tony Kroos na armação das jogadas, além de Gareth Bale .

"Talento, qualidade no último passe, definição e visão de jogo ele sempre teve, mas se responsabilizou mais por tarefas defensivas. Assumiu a titularidade e se soltou mais. Demos a ele liberdade no campo de jogo. Tanto pelo meio, quando pelos lados, seu futebol melhorou muito. Penso que um jogador criativo como ele tem que ter essa liberdade", analisou.

Por fim, Villas-Boas garantiu que se lembra muito da alegria de James nos bastidores e garantiu que pressão nenhuma ira atrapalhá-lo na missão de mostrar um bom futebol.

"Ele tem um sorriso contagiante e muito tato para lidar com as pessoas. Penso que reúne todas as condições para se adaptar às exigências do Real e à pressão de um clube como esse. Ele dá os passos de maneira muito tranquila e isso ajuda. Ele será muito bem recebido pelo plantel", finalizou.

*com Gazeta Press

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.