Tamanho do texto

Meia fez os dois gols da vitória por 2 a 0, pela Copa do Brasil, e acabou com a sequência de cinco jogos sem vencer

No dia em que o Palmeiras soube da possibilidade de que a venda de Valdivia ao futebol árabe pode não se concretizar , o meia responsável pela armação nesta quarta-feira deu a tranquilidade que a equipe precisava. Felipe Menezes fez os dois gols da vitória por 2 a 0 sobre o Avaí, pela Copa do Brasil, acabou com a sequência de cinco jogos sem vencer e aumentou a confiança para o primeiro clássico em Itaquera diante do rival Corinthians. Foi também o prmeiro triunfo sob o comando do argentino Ricardo Gareca.

Felipe Menezes fez os dois gols do Palmeiras na vitória diante do Avaí, pela Copa do Brasil
Fernando Remor/AGP/Gazeta Press
Felipe Menezes fez os dois gols do Palmeiras na vitória diante do Avaí, pela Copa do Brasil

Depois de um primeiro tempo sofrível dos dois times, o intervalo serviu até para Josimar mostrar alguma qualidade. O volante deu o passe para o meia soltar uma bomba e abrir o placar aos 17 minutos do segundo tempo e, cinco minutos depois, encontrou Felipe Menezes na área, em condições de fechar o marcador.

Com a vitória, o Verdão pode perder por até um gol de diferença no jogo de volta, às 19h30 (de Brasília) do dia 6, no Pacaembu, para chegar às oitavas de final da Copa do Brasil. O foco, porém, está no duelo diante do Corinthians, às 16 horas de domingo, no primeiro clássico do estádio de Itaquera. O Avaí, na busca para sair da Série B do Brasileiro, também tem um clássico: no sábado, visita o Joinville, às 16h20.

O jogo

Pensando no Dérbi de domingo, o Palmeiras entrou em campo sem oito jogadores que foram titulares contra o Cruzeiro, mas nem a ausência desses atletas justifica a péssima apresentação da equipe no primeiro tempo. O posicionamento tático era o 4-2-3-1, só que apenas na teoria. O time e o adversário pouco mostravam futebol.

Confira a tabela de jogos completa da Copa do Brasil

As duas equipes pareciam disposta a contra-atacar e, pela qualidade que mostraram, poderiam deixar o rival tocar a bola em seu campo sem temer nenhum perigo. Os erros de passes tanto do Verdão quanto do Avaí não permitiam que qualquer jogada levasse a bola à área por méritos próprios.

O zagueiro palmeirense Wellington protege a bola no duelo contra o Avaí pela Copa do Brasil
Gazeta Press
O zagueiro palmeirense Wellington protege a bola no duelo contra o Avaí pela Copa do Brasil

De nada adiantavam Cleber Santana e Marquinhos para o time catarinense e Felipe Menezes, que deveria ser auxiliado por Wesley, para os visitantes. A única armação de qualquer lado só aparecia quando alguém errava. Neste quesito, Josimar se destaca, sempre tentando enfeitar apesar de não mostrar condições nem de fazer o simples.

O primeiro susto veio de bola perdida pelo volante no meio de campo que Marquinhos chutou sem força e Fábio, mesmo assim, conseguiu bater roupa, logo aos seis minutos. Aos trancos e barrancos, Felipe Menezes foi entrando na área quatro minutos depois na tentativa de responder, mas o nível do confronto era sofrível demais.

Mesmo diante de tanta ruindade, Mouche, em seu primeiro jogo como titular, conseguiu se sair pior, deixando o truculento volante Eduardo Costa passar a bola passar entre as suas pernas. O argentino ainda foi o último a cometer uma falta que o árbitro Wagner Reway perdoou. Em quase todas as infrações seguintes, o apitador se juntou às péssimas figuras em campo, aplicando cartões sem mostrar critério.

No desempate de erros, o Palmeiras conseguiu se sair pior. Tanto que Fábio rebateu outro chute fraco de Marquinhos, apareceu bem em arremate de Cléber Santana e se assustou com bola de Eduardo Neto que passou perto do travessão. Viciado em falhar, o Verdão também perdeu a única boa chance que criou no primeiro tempo.

Leandro, já marcado por pouco se empenhar e não conseguir acertar quase nada, aos 38 minutos do primeiro tempo, amorteceu a bola para Henrique e recebeu de volta na grande área, de frente para o goleiro Vagner e facilitando a vida do responsável por guardar a meta do Avaí, chutando fraco e em cima do seu corpo.

Apesar do baixíssimo nível apresentado, ninguém mudou, mas o Avaí já tinha sido obrigado a sacar o lateral esquerdo Eltinho por lesão e apostar na improvisação do volante Revson. Ricardo Gareca, porém, acordou seu time no intervalo, principalmente Felipe Menezes, que começou a procurar a bola para armar o time.

O Verdão, contudo, ainda tinha Josimar, que mostrou estar plenamente convencido de ter alta qualidade e tentou um toque de letra que virou contra-ataque do Avaí e só não se tornou gol porque Fábio segurou a finalização de Paulo Sérgio na pequena área, aos quatro minutos do segundo tempo.

Quando parou de enfeitar, Josimar foi útil, carregando a bola de forma simples para Felipe Menezes. Do meia, saiu passe preciso para Mouche deixar Leandro com o gol livre à frente e o atacante, de novo, bateu fraco, desta vez para fora, aos 11 minutos, irritando até Gareca, que resolveu trocá-lo por Bruno César, meia que deu mais liberdade a Felipe Menezes.

A estratégia deu certo rapidamente. Dois minutos após a saída de Leandro, Josimar tocou para Felipe Menezes, que abriu mão de tentar acionar os inúteis Henrique e Mouche, escapou da marcação e soltou a bomba para marcar um golaço, acertando a trave direita antes de a bola balançar as redes do Avaí, aos 17 minutos.

O Avaí tentava chegar à frente e até assustou em cabeçada de Anderson Lopes perto do travessão, mas a dupla Josimar e Felipe Menezes estava encaixada e eficiente. Aos 25, o volante tocou para o meia, dentro da área, bater com precisão, sem chances de defesa para o goleiro Vagner, ampliando para 2 a 0.

Com a tranquilidade da vantagem no placar em dois gols rápidos, o Verdão quase fez o terceiro em chute de Bruno César bem defendido por Vagner e passou os últimos minutos como espectador dos passes errados do Avaí. Não era necessário fazer mais do que Felipe Menezes já tinha feito para encerrar o jejum de vitórias.

FICHA TÉCNICA
AVAÍ 0 X 2 PALMEIRAS

Local: Ressacada, em Florianópolis (SC)
Data: 23 de julho de 2014, quarta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Público: 8.512 pessoas
Renda: R$ 147.440,00
Árbitro: Wagner Reway (MT)
Assistentes: Paulo Cesar Silva Faria e Lincoln Ribeiro Taques (ambos do MT)
Cartões amarelos: Marrone, Eduardo Costa e Marquinhos (Avaí); Wesley, Josimar, Victor Luis e Mouche (Palmeiras)

Gols:
PALMEIRAS: Felipe Menezes, aos 17 e aos 25 minutos do segundo tempo

AVAÍ: Vagner; Marrone, Pablo, Antonio Carlos e Eltinho (Revson); Eduardo Costa, Eduardo Neto, Cleber Santana (Diego Jardel) e Marquinhos; Anderson Lopes e Paulo Sérgio (Roberto)
Técnico: Geninho

PALMEIRAS: Fábio; Weldinho, Wellington, Marcelo Oliveira e Victor Luis; Josimar (Gabriel Dias), Wesley e Felipe Menezes (Mazinho); Mouche, Leandro (Bruno César) e Henrique
Técnico: Ricardo Gareca

* Com Gazeta Esportiva.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.