Tamanho do texto

Eu Sou Santos, grupo o qual Odílio Rodrigues faz parte, planeja reeleição e valoriza participação dos associados

Se o período de governança de Odílio Rodrigues determinou mudanças dentro do Santos, elas não devem parar por aí. Pelo menos é o que prega o grupo da situação Eu Sou Santos, que lançará em breve o seu candidato para as eleições presidenciais no fim do ano. Confiante na continuidade, a associação promete valorizar os associados e as categorias de base. Esta é a segunda matéria da série especial de reportagens do iG Esporte

Odílio Rodrigues não será o candidato da Eu Sou Santos
Divulgação
Odílio Rodrigues não será o candidato da Eu Sou Santos

Leia também:  Fim da Copa do Mundo acirra disputa pelo poder no Santos

Idealizada em novembro de 2012, após rompimento com a então aliada Resgate Santista, a Eu Sou Santos nasceu com o lema de “apoiar projetos, não pessoas”. Em agosto do ano passado, ela conseguiu colocar dois conselheiros no Comitê de Gestões, são eles Francisco Cembranelli e Thiers Fleming. O primeiro já foi até cogitado para concorrer à presidência.

Apesar reiterar confiança no trabalho de Odílio Rodrigues, a Eu Sou Santos enxerga erros na atual administração e não descarta possíveis desligamentos de profissionais contratados pelo próprio cartola. “Temos como objetivo a profissionalização do Santos. Não posso lhe assegurar se manteremos ou não os funcionários que o Odílio contratou. Entendemos que alguns erros precisam ser corrigidos e para isso queremos pessoas especializadas dentro do clube”, disse Nabil Khaznadar, presidente do grupo, ao iG Esporte .

Entre as contratações pretendidas está a reformulação no departamento de marketing do clube. A Eu Sou Santos entende só assim será possível minimizar a dívida do clube, que na temporada anterior fechou o ano com um déficit de R$ 40.621 milhões.

Sem revelar o nome do possível candidato, a Eu Sou Santos também faz mistérios quanto aos projetos, mas assegura: associados e categorias de base vão ganhar atenção especial. “Nós queremos resgatar os associados do Santos. Nós mudamos o estatuto e agora eles têm direito ao voto, como o Internacional faz há tempos e com excelência. Outra preocupação é resgatar as categorias de base que os santistas tanto gostam”, completou.

Segundo o site da associação, a Eu Sou Santos trabalha para o “planejamento e inteligência no futebol”, “estratégia para mando de jogos”, “projeto Arena Vila Belmiro e Pacaembu”, “marketing para multiplicar a torcida” e “conexão eficiente entre o profissional e a base”.

Confira na íntegra a carta de apresentação do grupo, divulgada no site:

“Depois da fase vitoriosa liderada por Neymar, quando o alvinegro conquistou seis títulos em apenas três anos, estamos diante do desafio de retomar o caminho das vitórias e das conquistas.

O Santos tem que montar um time competitivo, fortalecer o trabalho com as divisões de base, ampliar o relacionamento com a torcida, obter resultados efetivos no marketing, atrair patrocinadores, encaminhar de vez a solução para a sua Arena.

Nós, da Associação EUSOUSANTOS!, estamos empenhados em colaborar decisivamente para o alvinegro vencer esse desafio.

Formada em novembro de 2012, e constituída oficialmente em 24 de junho de 2013, a EUSOUSANTOS! reúne cerca de 120 integrantes, entre conselheiros e associados, com coordenadorias estabelecidas em Santos e São Paulo.

Em nossos quadros estão santistas que historicamente participam da vida política do clube e contribuem de forma significativa para seu engrandecimento. Nossa premissa fundamental, condizente com o que sempre defendemos, é fazer com que os interesses do Santos Futebol Clube prevaleçam, acima de tudo e de todos".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.