Tamanho do texto

"Poderíamos ter saído com a vitória. Por isso, dou os parabéns ao Wilson, um amigo e grande goleiro", elogia Renato Augusto

Wilson disputa bola durante o empate sem gols entre Vitória e Corinthians
Futura Press/Romildo de Jesus
Wilson disputa bola durante o empate sem gols entre Vitória e Corinthians

Os jogadores do Corinthians pouco produziram ofensivamente diante do Vitória , neste domingo, no Barradão. Ainda assim, responsabilizaram as boas defesas do goleiro Wilson, já nos minutos finais de partida, pela manutenção do 0 a 0 no placar.

"Foram duas bolas, né? Poderíamos ter saído com a vitória. Por isso, dou os parabéns ao Wilson, um amigo e grande goleiro", elogiou o meia Renato Augusto, que conheceu o adversário nas categorias de base do Flamengo. "Ele é um pouco mais velho, mas sempre o admirei. Naquela época, inclusive, ele batia faltas", recordou.

Leia mais: Corinthians perde Jadson para o clássico contra o Palmeiras

Com 30 anos, quatro a mais do que Renato Augusto, Wilson se destacou quando foi exigido pelo Corinthians em cabeçadas do paraguaio Romero e do peruano Guerrero. O goleiro saiu de campo satisfeito com a sua atuação.

Confira a classificação, artilharia e mais notícias do Campeonato Brasileiro

"Foram duas cabeçadas difíceis. A primeira foi à queima-roupa, acho que do Gil. Peguei no susto, no reflexo. Na segunda, a bola quicou na minha frente, e o gramado estava molhado. Fico feliz por ter ajudado o Vitória a não tomar gol", comentou Wilson.

Confundido com Romero pelo goleiro, Gil foi mais um a enaltecer o trabalho do oponente. "Ele defendeu no susto. Foi bem em cima do Wilson, que conseguiu esticar o braço e pegar", lembrou o zagueiro corintiano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.