Tamanho do texto

Treinador ainda exaltou as jogadas ensaiadas que seu time fez contra o Palmeiras, mostrando que os treinos surtiram efeito

A vitória do Santos por 2 a 0 em cima do Palmeiras na noite desta quinta-feira deixou o time alvinegro com o mesmo número de pontos do Sport, o primeiro na zona de classificação à Libertadores da América. E uma vaga na competição continental é o desejo principal do técnico Oswaldo de Oliveira.

"Nosso planejamento é com esse objetivo, nós queremos muito o melhor pro Santos, libertadores e quem sabe o título", disse o treinador, após o clássico.

Oswaldo de Oliveira, treinador do Santos
Flickr oficial do Santos
Oswaldo de Oliveira, treinador do Santos

Melhor em campo, o meia Lucas Lima mais uma vez ganhou elogios do treinador santista e vai se transformando na principal peça do time para a competição.

"O Lucas Lima é um jogador que tem tido um crescimento importante, principalmente para a equipe. É um jogador que executar a função de defensor para atacante muito bem. Ele tem feito isso com muita inteligência e objetividade. Isso tenho certeza que nos ajuda muito e tem muito a crescer. Ele está amadurecendo".

Confira a classificação e os próximos jogos do Campeonato Brasileiro

A atuação imponente do Peixe no clássico, principalmente no primeiro tempo, quando praticamente não deixou o Verdão jogar, deixou o treinador bastante satisfeito, já que o time é formado por muitos garotos.

"Minha intensão era jogar assim, mas tinha Cícero e Montillo e eu ia precisava fazer adaptações. Não se falava em Geuvânio e Gabriel, falávamos em Vargas e Damião, mas eu tinha outra coisa na cabeça. É uma forma de jogar que eu gosto muito, principalmente Geuvânio e Rildo, gosto deles, que sabem subir e descer atacando, quando se tem jogadores capazes de fazer isso eu fico muito feliz", explicou.

Outro fato muito comentado após a vitória do Peixe foram as jogas ensaiadas durante a intertemporada. No primeiro gol santista, Bruno Uvini marcou graças a uma dessas jogadas tão treinadas no CT Rei Pelé e também lembrou dos treinos.

"Não é coincidência, eu seria modesto se falasse isso, o mérito é da comissão também, pudemos trabalhar em fases e etapas, com conhecimento pedagógico. Trabalhamos na batida do Lucas, Leandrinho, Alan, trabalhamos bastante as bolas paradas. Fomos colocando tempo de bola, o Uvini trabalhou muito essa bola em velocidade, não é tão alto, mas é veloz, melhorou muito o tempo de bola. Todo mundo trabalhou bastante", ressaltou Oswaldo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.