Tamanho do texto

Alexandre Pato só deve manter o lugar se o caso de Ademílson se agravar. São Paulo pega o Bahia nesta quarta-feira, na Arena Fonte Nova, em Salvador

Na véspera da partida contra o Bahia, o São Paulo treinou no CT da Barra Funda na manhã desta terça-feira para definir a escalação que retoma o Campeonato Brasileiro. Mas um imprevisto fez Muricy Ramalho mudar a formação que vinha utilizando nos últimos dias: o atacante Ademílson contraiu amigdalite e ficou de fora da atividade. Assim, Alexandre Pato herdou vaga no time titular e pode ser a novidade do ataque tricolor.

Alexandre Pato em treino do São Paulo
Fernando Dantas/Gazeta Press
Alexandre Pato em treino do São Paulo

Mas o camisa 11 só deve manter lugar se o caso de Ademílson se agravar. Por enquanto, a comissão técnica não se preocupa com o problema do atacante, que está confirmado na delegação que viaja a Salvador. Se tudo correr como esperado, ele será titular na Arena Fonte Nova, em partida válida pela décima rodada do Brasileirão.

O quadro de Ademílson, porém, obrigou Muricy a mexer na escalação, que já tinha suas pendências nos últimos dias. Em treino focado na bola parada e nas jogadas pelas pontas, o treinador manteve o meio-campo com três homens: Souza, Maicon e Ganso - Denílson não foi testado para povoar o setor. No ataque, Osvaldo participou a atividade ao lado de Pato e Alan Kardec.

A exemplo do treinamento da última segunda, os recém-contratados Rafael Tolói e Kaká treinaram separados do elenco, participando apenas dos minutos finais. Luís Fabiano fez companhia à dupla, dando sequência à recuperação de lesão muscular. Os três não encaram o Bahia.

A atividade começou com aquecimento leve, com "bobinho" e alongamento. Na sequência, Muricy Ramalho dividiu as equipes e interrompeu o coletivo diversas vezes para repetir enfiadas de bola aos laterais e a Alan Kardec. A bola aérea também foi explorada, com a defesa titular tendo que cortar cruzamentos vindos de escanteios.

Na parte final, o técnico reduziu o campo e obrigou os atletas a trabalharem em dois toques. Cada equipe contou com 12 jogadores de linha, Tolói, Kaká e Luís Fabiano marcaram presença e até Rogério Ceni mostrou suas habilidades como meia armador.

Mas nesta quarta-feira, Rogério deixa de lado o meio-campo para recolocar as luvas. O goleiro dá início à escalação que ainda deve contar com Douglas, Rodrigo Caio, Antônio Carlos e Álvaro Pereira; Souza, Maicon e Ganso; Ademílson, Osvaldo e Alan Kardec.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.