"Para aqueles como nós que cresceram no clube, falar de Di Stéfano é falar de Real Madrid", disse goleiro Casillas

Casillas, goleiro do Real Madrid e da seleção espanhola, presta homenagens a Di Stéfano
Andrea Comas/Reuters
Casillas, goleiro do Real Madrid e da seleção espanhola, presta homenagens a Di Stéfano

Família, torcida e jogadores se despedem do argentino Alfredo Di Stéfano nesta terça-feira. O maior ídolo da história do Real Madrid morreu na segunda-feira aos 88 anos e é velado na Sala de Honra do estádio Santiago Bernabeu, casa do time espanhol. Di Stéfano sofreu uma parada cardiorrespiratória enquanto almoçcava com a família no final de semana. Ele ainda foi internado e ficou em coma, mas não resistiu. 

Leia mais sobre futebol espanhol no iG Esporte

O velório do ex-jogador é aberto ao público, mas a entrada das pessoas é controlada. Além de autoridades europeias, passaram pelo local diversos atletas do Real Madrid, clube no qual Di Stéfano era presidente de honra. Carvajal, Casillas, Sergio Ramos e Nacho foram alguns dos atletas dos blancos  que prestaram a última homenagem ao craque. Também esteve presente o volante Gabi, do rival Atlético de Madri.

Parentes se despedem de Di Stéfano na sede do Real Madrid. Caixão é coberto pela bandeira do clube espanhol
Andrea Comas/Reuters
Parentes se despedem de Di Stéfano na sede do Real Madrid. Caixão é coberto pela bandeira do clube espanhol


"Quando eu cheguei ao clube, eu me lembro de vê-lo nos arredores da Ciudad Deportiva. Para aqueles como nós que cresceram no clube, falar de Di Stéfano é falar de Real Madrid. A presença de Dom Alfredo, seus momentos, seus gols... Tudo nos lembra Real Madrid", disse o Casillas ao deixar o velório. 

No local, há ainda uma parede reservada à assinatura de mensagens de carinho dos torcedores merengues a Di Stéfano. No clube, o antigo atacante fez história nas décadas de 50 e 60, levantando oito taças do Campeonato Espanhol e cinco da Liga dos Campeões, elevando o Real de time médio a uma potência mundial do esporte.


O velório se estenderá até a tarde de quarta-feira, quando o corpo do argentino será enterrado no cemitério de La Almudena , na capital espanhola. A cerimônia, no entanto, será restrita a familiares e amigos próximos do ex-jogador.

Morte - Di Stéfano faleceu no hospital universitário Gregório Marañon, em Madri. No sábado, o ex-jogador havia sofrido uma parada cardíaca e foi levado às pressas até a UTI do hospital. O hispano-argentino, no entanto, acabou não resistindo aos danos provocados pelo problema.

*com Gazeta Esportiva

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.