Clube atualmente tem seis defensores à disposição, e jogadores acreditam que concorrência por vaga é algo ''natural e sadio''

Jogadores em treino do Fluminense
Moyses Fernan/Photocamera
Jogadores em treino do Fluminense

A diretoria do Fluminense se movimentou para reforçar a equipe nas últimas semanas. Durante o recesso do Campeonato Brasileiro para a disputa da Copa do Mundo, o clube anunciou a chegada do zagueiro Henrique, que estava no Bordeaux, da França, sendo que pouco antes já tinha acertado com o zagueiro Fabrício, que teve o Vitória como último clube. Elivélton, promovido das categorias de base, também apareceu muito bem na defesa ao lado de Gum, visto como titular absoluto nas Laranjeiras há alguns anos.

Com tantas opções, a zaga passou a ser uma das posições mais concorridas dentro da equipe, que conta ainda com Marlon e Wellington Carvalho, oriundos também das divisões inferiores do clube.

Neste cenário é natural que a disputa por vagas comece a fazer parte da rotina de treinos e de jogos do Fluminense. Por enquanto, Gum e Henrique parecem sair na frente na preferência do técnico Cristóvão Borges, mas os demais estão de olho em uma oportunidade. Em um clima de respeito entre os companheiros, a disputa por um lugar se torna algo sadio, de acordo com o zagueiro Fabrício.

"A disputa por posições é algo natural no futebol e sadio, e acredito que o Fluminense tem condições de sempre atuar com bons defensores. O grupo está fortalecido com a chegada de jogadores importantes, não apenas para a zaga, mas também para outras posições, como o meio-de-campo. Estamos confiantes de que o resultado final vai ser bom para todos no clube", opinou.

Elivélton concorda com o companheiro e acredita que o fato de o time caminhar para ter um segundo semestre puxado, com excesso de jogos, vai acabar beneficiando a todos no clube.

"Acredito que vamos ter um segundo semestre muito puxado, com jogos desgastantes. Além do Campeonato Brasileiro, que já é uma competição que exige bastante, vamos conciliar seus jogos com as fases mais complicadas da Copa do Brasil, onde normalmente é clássico ou jogo muito disputado, com cara de final. Neste cenário o treinador vai precisar muito mais do que onze titulares. Vai precisar de um elenco em que todos tenham condições de manter o nível em alta caso algum jogador deixe a equipe", afirmou o zagueiro.

Wellington Nem

Na manhã desta segunda-feira, após a folga de domingo, os jogadores se reapresentaram para uma atividade física na praia da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro. O elenco foi surpreendido pela presença de Wellington Nem, que se encontra no Brasil para tratar de uma lombalgia, que o atrapalhou nos primeiros meses no Shaktar Donetsk, da Ucrânia.

A diretoria do Fluminense tenta a contratação do jogador e espera convencer os ucranianos a liberarem o atacante sem custos até dezembro, com o clube arcando apenas com os salários do atleta. Até agora, porém, não houve uma resposta oficial por parte dos europeus. A diretoria já trabalha até mesmo com um plano B caso fracasse essa negociação, já que Cristóvão vem pedindo a chegada de um reforço de velocidade para o ataque. 

* Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.