Time do Morumbi ficou no 0 a 0 com o Orlando City no amistoso nos EUA. Jogo foi a estreia de Alan Kardec

Lance da partida entre São Paulo e Orlando City, nos EUA
Site oficial/SPFC
Lance da partida entre São Paulo e Orlando City, nos EUA

O São Paulo decepcionou nesta sexta-feira e não passou de um empate sem gols com o Orlando City , no Complexo ESPN, nos Estados Unidos. A partida também foi a estreia de Alan Kardec na equipe paulista. Após o jogo, todos falavam em ganhar mais ritmo e o técnico Muricy Ramalho avaliou o seu novo jogador. 

Leia mais: Luis Fabiano sai lesionado de amistoso e preocupa o São Paulo

"Ele, como todo o time, ainda está sentindo um pouco a parte física. Mas, o importante foi que o jogo de hoje serviu mais como um treinamento. Os jogadores têm treinado forte, sempre em dois períodos na intertemporada, mas ainda não estão 100%. O Kardec é um atleta muito interessante e, quando entrosar, vai ajudar bastante", destacou o comandante. 

Com a camisa 14 do São Paulo, o atacante se movimentou com intensidade durante a partida no ESPN Wide World of Sports Complex. Além disso, Kardec procurou dar opções aos companheiros de elenco no setor ofensivo da equipe e teve uma postura clássica de centroavante.

Bom para ganhar ritmo

Após o 0 a 0 no placar, os são-paulinos voltaram a destacar a partida como uma forma de ganhar ritmo. "Foi um amistoso bom. Eles também jogaram sério, isso que é importante. Nós treinamos cinco ou seis dias apenas, então é bom para entrarmos no ritmo. Foi um bom jogo, criamos muitas chances de gols. Foi bom para o time ganhar ritmo", avaliou o zagueiro Antônio Carlos, que pouco foi incomodado pelo ataque norte-americano, em entrevista à Rádio Capital .

Questionado ainda no intervalo sobre o desempenho da equipe no jogo, Souza fez uma análise prévia dos 90 minutos, já que pouca coisa mudou na volta das duas equipes do intervalo. O volante aproveitou para pedir a compreensão do torcedor, que não ficou satisfeito com o empate sem gols.

"Criamos muito, mas acho que não fomos felizes nas finalizações. Temos que ter a compreensão do torcedor neste momento, pois é o primeiro jogo depois de dez dias parados. Conseguimos neutralizar o adversário e isso que é o importante", garantiu o volante, em discurso parecido com Antônio Carlos.

Capitão da equipe, Rogério Ceni não precisou trabalhar muito. Ao falar sobre o jogo, aproveitou para elogiar o acanhado estádio em que jogaram, que faz parte do Complexo ESPN. Sobre o adversário, o goleiro aprovou a movimentação dos dois atacantes, afirmou que trabalham bem a bola e usou um dos tradicionais bordões: ‘os bobos do futebol’.

"O time deles é bom, na verdade, trabalha bem a bola, mas isso é o futebol hoje em dia. Todo mundo sabe jogar, o futebol está globalizado. É um estádio pequeno, é verdade, mas aconchegante. Tem um gramado muito bom para se jogar, até melhor do que muitos estádios de Copa do Mundo", completou Rogério Ceni.

*com Gazeta Esportiva

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.