Com o time mais forte após a Copa, técnico espera que não sejam empate no final dos jogos não volte a acontecer

Mano Menezes, técnico do Corinthians
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Mano Menezes, técnico do Corinthians

Mano Menezes passou boa parte das primeiras nove rodadas do Campeonato Brasileiro sendo criticado e vê claros problemas a ser resolvidos no Corinthians . Mesmo assim, a equipe terminou a etapa inicial da competição entre os três primeiros colocados e reforçou a confiança do treinador em relação às 29 jornadas restantes.

"Com as dificuldades que tivemos, estamos em terceiro, à frente de 17 equipes", disse o técnico, com uma pausa para o sorriso. "Foi por isso que disse que estava otimista para o retorno, porque temos capacidade de melhorar imediatamente. Algumas coisas ainda não acontecem porque a equipe não tem maturidade. Não passamos por algumas coisas."

Essa falta de maturidade foi observada pelo gaúcho no último domingo, em Itaquera. O Corinthians não aproveitou as chances de matar o jogo no contra-ataque, cedeu o empate por 1 a 1 ao Botafogo e desperdiçou a oportunidade de assumir a vice-liderança, ficando a apenas um ponto do primeiro lugar.

Agora, os atletas terão duas semanas de descanso e se reapresentarão no próximo dia 16, para um período de treinamentos na cidade de Extrema - o centro de treinamento estará emprestado à seleção do Irã. O volante Elias já estará no grupo, que será posteriormente reforçado pelo meia Lodeiro, da seleção uruguaia. Ninguém deverá sair.

"Espero uma equipe mais forte, um grupo ainda mais qualificado no retorno. Essa ida a Extrema é exatamente para retomar o trabalho. Vamos ficar lá por um período de sete a dez dias e trabalhar bastante. Em um curto espaço, vamos fazer bem intensamente a primeira parte do trabalho", comentou Mano.

É possível que o gaúcho ganhe novos jogadores até a reapresentação. No Paraguai, é dada como certa a transferência do atacante Ángel Romero, de 21 anos, do Cerro Porteño, à agremiação do Parque São Jorge. Um zagueiro também está nos planos dos dirigentes.

Com o time mais forte, Mano espera que não sejam repetidos os erros cometidos em três partidas nas quais o empate foi cedido no final. Tivesse o Corinthians mantido a vantagem construída em cada uma dessas partidas, teria 19, não 17, adversários atrás de si na tabela.

"Deixamos escapar pontos que estavam à nossa disposição. Contra o São Paulo, o jogo se adiantava e não sofríamos assédio. Contra o Atlético-PR, já foi diferente, porque estávamos sob pressão e não soubemos controlar. Contra o Botafogo, não estávamos sendo assediados. Isso frustra, mas mostra que falta alguma coisa para a equipe poder estar à frente das demais. É o que vamos buscar", concluiu o treinador.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.