Novo diretor de futebol chega para substituir Paulo Pelaipe ressaltou a pressão e a honra de trabalhar no Flamengo

Felipe Ximenes, novo diretor de futebol do Flamengo
Divulgação/Flamengo
Felipe Ximenes, novo diretor de futebol do Flamengo

O Flamengo apresentou, na tarde desta sexta-feira, em sua sede, na Gávea, o novo diretor de futebol do clube. Na primeira entrevista coletiva como dirigente rubro-negro, Felipe Ximenes destacou a honra de ter sido escolhido para exercer o cargo que ficou vago após a saída de Paulo Pelaipe, demitido junto com o ex-técnico Jayme de Almeida após a derrota no Fla-Flu, dia 11 de maio.

"Digo que todo e qualquer profissional que passa por um clube é pequeno em relação ao tamanho da instituição. No Flamengo, você é menor ainda. Trabalhar no Flamengo em qualquer momento é pressão, mas também é uma honra. Prefiro ficar com a segunda palavra que disse", afirmou Ximenes.

Apesar de o Flamengo admitir que buscará reforços durante a pausa para a Copa do Mundo - que acontecerá após a rodada do fim de semana -, Ximenes disse que precisa ter uma visão mais ampla sobre os problemas do time.

"Estou muito preocupado com esse jogo contra o Cruzeiro. Acredito que a função de diretor executivo é muito mais ampla e complexa do que contratar jogadores. O Flamengo está em um segundo momento de reformulação. Tinha um profissional que desenvolveu seu trabalho dentro da maneira que foi pedida, não é um trabalho que está iniciando hoje", disse.Para afastar qualquer tipo de especulação, o dirigente já negou a possibilidade de contratar Rosinei e Richarlyson, que não estão mais nos planos do Atlético-MG. "Dentro das carências que a gente imagina, esses dois jogadores não se encaixam no momento. O que não quer dizer que os outros se encaixem. Há tipos de especulação em que é preciso você deixar claro que não existe o interesse".

Outro nome que estaria sendo estudado pela diretoria do Flamengo, o goleiro Júlio César também foi descartado, ao menos por ora, pelo novo dirigente. "A torcida e a imprensa gostam de qualquer jogador que tem história no clube. Agora, você falar de um goleiro que tem contrato na MLS (defende o Toronto, do Canadá) e está na Seleção Brasileira, não tem o menor cabimento neste momento".

Ximenes também comentou o afastamento do goleiro Felipe, que teve as férias antecipadas depois de sequer ser relacionado contra o Santos e ficar no banco de reservas diante do Figueirense.

"Ele (Felipe) faltou a um treinamento, foi um caso de indisciplina. O Ney (Franco, treinador) resolveu tirá-lo do jogo contra o Santos. Diante do Figueirense, foi uma decisão totalmente técnica. Nós temos conhecimento do histórico deste jogador. Mas, enquanto ele fizer parte do elenco, o treinador tem o poder de utilizá-lo ou não. Felipe é atleta do Flamengo, seu contrato termina no ano que vem. Se acontecer qualquer coisa diferente, vamos nos posicionar oficialmente", afirmou.

Sobre as férias concedidas aos jogadores - que terão duas semanas de folga após o jogo contra o Cruzeiro -, Ximenes disse que não será "um prêmio" aos jogadores e que foi definida antes da sua contratação. "Da minha parte, não houve tentativa de mudar (o período de folga)".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.