Meia do Bahia também afirmou que se sente amadurecido, após atuar mais recuado nas últimas duas partidas

Anderson Talisca, meia do Bahia
EDSON RUIZ / Gazeta Press
Anderson Talisca, meia do Bahia

O Bahia tem um grande duelo pela frente. Vai enfrentar o Santos na quinta, às 21h, no estádio Joia da Princesa, em Feira de Santana, pela Série A do Campeonato Brasileiro . O meia Anderson Talisca, destaque da equipe na temporada, falou sobre a estratégia do Tricolor Baiano para vencer e se aproximar do topo da tabela, destacando os chutes de longe como ponto forte do time.

"Vai ser uma das armas da gente: o chute de longe. Não só isso. A questão tática e o posicionamento também serão importantes para nos dizer o que fazer dentro de campo", afirmou o jogador. Para ele, o estado do gramado do Joia da Princesa também pode ser uma dificuldade a ser enfrentada.

Após ser criticado por atuar com três volantes contra o Fluminense e devido a desfalques, o técnico Marquinhos efetuou mudanças no elenco e deve reforçar o setor ofensivo. Nos últimos dois jogos, Talisca terminou jogando afastado, quase como volante, para buscar a bola e iniciar as jogadas. O jogador afirma que as mudanças do comandante o ajudaram a evoluir.

"Falam que é ruim para mim, mas eu não acho. Me ajuda bastante. Eu vou atuando em outras posições, vou aprendendo e hoje já sei fazer esses papeis com experiência. Amadureci bastante em relação ao ano passado", observou o atleta.

O Bahia soma oito pontos e ocupa a 11ª posição na tabela. Na sequência do jogo contra o Peixe, antes da parada para a Copa do Mundo, o time enfrenta a Chapecoense na Arena Condá, no dia 1º de junho, e no dia 4 é a vez de encarar o Sport na Ilha do Retiro, em partida válida pela quinta rodada da competição, jogo que foi adiado devido à greve da Polícia Militar em Recife.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.