Tamanho do texto

Treinador ainda minimiza a queda de rendimento do time no segundo tempo, quando adversário cresceu e buscou o empate

Oswaldo de Oliveira, técnico do Santos
Getty Images
Oswaldo de Oliveira, técnico do Santos

O empate por 2 a 2 com o Goiás nesta quinta-feira, no Serra Dourada, poderia ser um bom resultado para o Santos por se tratar de um ponto conquistado na casa do adversário. Mas por ter ficado duas vezes à frente do marcador, o placar final foi frustrante para os santistas. Ainda assim, o técnico Oswaldo de Oliveira fez uma análise positiva da atuação do time.

Confira classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias do Brasileirão 

"Nos dois tempos o Santos foi melhor. E essa questão de justiça é muito relativo. Eu acho que se tivesse que ter um ganhador na partida seria o Santos pelo que apresentou e pelo que criou", disse o técnico, para em seguida minimizar a queda de rendimento do time no segundo tempo, quando o Goiás cresceu na partida após as entradas de Erick e Assuério.

"O jogo mudou com as características dos jogadores que entraram no Santos e com as características dos que entraram no Goiás, mas eu vi o Santos melhor o jogo todo, criando boas oportunidades, mesmo no segundo tempo", insistiu.Ao ser questionado sobre as falhas individuais que culminaram nos gols sofridos, principalmente o segundo empate do Esmeraldino, quando o experiente e estreante Renato perdeu a bola no campo de defesa, Oswaldo evitou procurar culpados.

"Todo gol sai de erro, ele pode ser maior ou menor, ele pode ser mais contundente ou não, mas todo gol sai de erro, isso é normal no futebol. O importante é a concepção da equipe toda, acho que a equipe fez uma boa partida e com essa nova formação de meio campo, que nós temos já há alguns jogos insistido, acho que eles vão se entrosando melhor e fazendo a equipe produzir", explicou.

Ao falar sobre Gabriel, artilheiro da equipe na temporada, mas que deixou o campo ainda no primeiro tempo, nesta quinta-feira, por causa de uma lesão, o comandante do Peixe voltou a ressaltar a necessidade do jovem atacante aprimorar alguns aspectos.

"Acho o Gabriel sim um jogador muito importante para o Santos, mas ainda é muito novinho, tem que aprender muito, está aprendendo muito, é um jogador muito esforçado, muito consciente e está procurando se aprimorar", finalizou.

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.