Atacante palmeirense discorda do capitão Lúcio e acredita que 'a linguagem do futebol é universal'

Diego, atacante do Palmeiras
Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação
Diego, atacante do Palmeiras

Capitão do Palmeiras , Lúcio não cansa de apontar dificuldades e até impaciência para esperar um técnico estrangeiro se adaptar. Mas a opinião do zagueiro não domina o elenco. Ao falar de Ricardo Gareca, que virá ao Brasil nesta quarta-feira e pode já assinar com o clube, Diogo só fez elogios.

"Não temos tanto costume de treinador estrangeiro, mas a linguagem do futebol é universal", definiu o atacante, em entrevista coletiva nesta terça-feira e mostrando-se conhecedor do possível futuro comandante.

"Ele fez grande trabalho no Vélez Sarsfield, uma grande equipe da Argentina. Se for bom para o Palmeiras, vai ser muito bom para nós também", apostou o jogador, disposto a aproveitar a chance que sempre cresce com a troca no comando.

"Não dá para dizer que não tive sequência por causa do Gilson Kleina porque estava lesionado. Com a saída dele, me recuperei e tive uma sequência muito boa. Com treinador novo, todos querem um lugar e é bom para o Palmeiras quando todos querem ser competitivos", apontou.

Promovido a titular desde o jogo seguinte à demissão de Gilson Kleina, Diogo participou da atual sequência de três vitórias da equipe e também enche o interino Alberto Valentim de elogios pelo trabalho que vem realizando.

"No nosso dia a dia, o Alberto já estava com a gente. Parou recentemente e já participava dos treinos, criou um contato conosco muito importante para nós e para ele. E a confiança aumentou com as vitórias", indicou.

Sem Eguren e Marquinhos Gabriel, treino tem Wendel e William Matheus

O treino da tarde desta terça-feira mostrou que o Palmeiras deve ter, ao menos, duas novidades para enfrentar o Figueirense na quinta-feira, em Araraquara. Recuperados de contusões, Wendel e William Matheus participaram da atividade que teve Eguren e Marquinhos Gabriel como desfalques.

Pré-convocado para a Copa do Mundo, o volante Eguren foi liberado para treinar com a seleção uruguaia e trabalha com seus compatriotas desde segunda-feira. Já o meia Marquinhos Gabriel realizou fortalecimento muscular nas dependências internas da Academia de Futebol.

Também não apareceram no gramado o meia Bruno César, o goleiro Fernando Prass, o volante Bruninho e o zagueiro Thiago Martins, todos em recuperação de contusão. Ao lado deles ficou França, volante que não está mais nos planos do clube e trabalha enquanto negocia sua saída para o Figueirense.

O treino com quem foi a campo teve atividade técnica em campo reduzido. O lateral direito Wendel, desfalque no domingo por problema muscular, e o lateral esquerdo William Matheus, que tinha torcido o tornozelo direito, não mostraram nenhuma limitação física.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.