Supremacia sobre dois gigantes como Barcelona e Real Madrid e título conquistado no Camp Nou tornaram conquista especial

Diego Simeone era volante do Atlético de Madri no título espanhol de 1995/1996, o último do clube até o argentino, agora como treinador, comandar a equipe em uma nova conquista, assegurada neste sábado diante do Barcelona , no Camp Nou.

Conquista que esteve ameaçada depois de seu time perder dois jogadores lesionados - um deles, o principal, o atacante Diego Costa - e sair atrás no placar. Com a derrota, o Atlético seria ultrapassado pelo Barcelona na última rodada da competição. Mas, no segundo tempo, Diego Godín, seu xará uruguaio, marcou o gol do título.

"O trabalho foi a chave (da conquista). É um dos dias mais importantes da história do Atlético. Ganhar uma Liga no campo do Barcelona...", resumiu o treinador.

O feito deste sábado poderá ser superado daqui a uma semana, quando o Atlético vai a Lisboa para decidir a final da Liga dos Campeões da Europa contra o Real Madrid. Compromisso, inclusive, que faz Simeone se conter na comemoração do título espanhol.

"Espero que Madri se vista de vermelhor e branco, mas agora temos que nos preparar para a final de sábado", advertiu Simeone, que talvez não possa contar com Diego Costa - nem Arda Turna e Adrián López, que também saíram lesionados no decorrer do empate por 1 a 1 com o Barcelona.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.