Tamanho do texto

Interino se propõe a ser zagueiro para proteger os goleiros e ordena aos atletas que tentem driblá-lo durante a atividade

Enquanto o diretor executivo José Carlos Brunoro e o gerente de futebol Omar fazem entrevistas sem o presidente Paulo Nobre ter detalhado nem o perfil que quer do futuro técnico do Palmeiras , Alberto Valentim ganha apoio do elenco mesmo sem ter esperança de ser efetivado. O treinador interino conquista seus comandados virando até jogador na Academia de Futebol.

Os jogadores têm deixado o campo do centro de treinamento sorrindo, e não só pelas duas vitórias consecutivas. Alberto termina as atividades com um desafio a quem joga na linha: se propõe a ser zagueiro para proteger os goleiros e ordena aos atletas que tentem driblá-lo, definindo um número de gols a ser marcado. Se o interino tocar na bola, a jogada já é invalidada.

Veja o perfil de jogadores poucos badalados que hoje fazem falta ao Palmeiras

Lateral direito que chegou à Seleção Brasileira, Alberto, aos 39 anos, raramente consegue encostar na bola e chega a ver algumas passando entre as suas pernas, como até o zagueiro Tiago Alves conseguiu. Mas o técnico diverte e mantém o clima bem-humorado no elenco dando carrinhos para desarmá-los.

Nessa quinta-feira, Paulo Nobre acompanhou as risadas proporcionadas pelo interino, e já ouve seus jogadores elogiarem publicamente o substituto momentâneo de Gilson Kleina. Se nunca teve pressa para buscar um treinador, o presidente viu na Academia de Futebol que o ambiente positivo está mantido, assim como os resultados, por enquanto.

"O Alberto está fazendo um bom trabalho, é um excelente treinador e profissional. Antes da saída do Kleina, sempre ajudou trabalhando depois do treino. Era só conversar com ele se tivesse alguma dificuldade. Realiza um bom trabalho e, demorando ou não para chegar um novo técnico, faz o papel dele e está sendo muito importante", elogiou o volante Renato.

Contratado em janeiro para compor a comissão técnica montada por Kleina, Alberto sempre se dedicou a trabalhar com os reservas e quem menos era usado. O ex-lateral ainda enxerga sua chance no Palmeiras como parte de sua preparação para virar técnico e não tem nenhuma expectativa de ser efetivado, mas vem ganhando pontos com diretoria e elenco.

"O Kleina nos deu suporte e confiança para jogar e o Alberto dá sequência, não mudou muita coisa. Está desenvolvendo um grande trabalho e nos deixando no caminho certo. Temos que manter o ritmo e as vitórias e deixar que a diretoria trabalhe para fazer o que for melhor para o clube. Vamos abraçar quem vier", avisou o goleiro Fábio.

A dificuldade está em definir quem vem. Entre os nomes cogitados, Ney Franco já foi para o Flamengo, Arce se recusou até a conversar sobre a possibilidade de assumir o Palmeiras, Vanderlei Luxemburgo perdeu espaço por pressão de conselheiros influentes e Dorival Júnior é o mais cotado em lista que tem ainda o argentino Ricardo Gareca, Dunga, Jorginho e Leão. Perfis totalmente diferentes que são analisados por uma diretoria que não sabe o que quer oito dias após demitir Kleina.

Marquinhos Gabriel espera agarrar nova chance
Em semestre de atuações apáticas no Palmeiras, Leandro saiu vaiado de seu último jogo pelo clube antes de se juntar à Seleção Brasileira sub-21 que disputará o Torneio de Toulon, na França. Marquinhos Gabriel, então, entrou em campo e deu a dinâmica que faltava para vencer o Sampaio Corrêa. Agora, espera aproveitar a ausência do titular para, finalmente, se firmar no time.

Com a assistência que deu para Henrique na quarta-feira, o camisa 40 ratificou sua liderança no quesito no elenco palmeirense dando seu quarto passe a gol na temporada, o dobro do que fez Valdivia, jogador mais caro do elenco, em 2014. Mas falta a Marquinhos Gabriel, autor de um gol pelo Verdão, provar que também pode ser útil como titular.

Nos 14 jogos que fez pelo clube até agora, foi decisivo só quando saiu do banco. "Vou buscar meu espaço. Como sempre falei, estou aqui para ajudar e, mais uma vez, ajudei contra o Sampaio Corrêa", disse o jogador, sem mostrar ânimo ou desânimo na espera por um novo técnico. "Quem chegar, vai conversar com o grupo e estaremos juntos nesta luta até o final do ano."

Enquanto o substituto de Gilson Kleina não é contratado, Marquinhos Gabriel é o mais provável dono da vaga que Leandro deixa. O interino Alberto Valentim sempre conversou com o jogador de 23 anos, mesmo quando ainda não era o técnico da equipe, e pedirá ao atleta, que tem contrato até o final do ano, a dinâmica que deu com pouco mais de meia hora em campo na quarta-feira."Falo muito com os atletas que jogam menos que o Palmeiras é muito grande e, quando falamos de elenco forte, é de um elenco de 35 jogadores. O treinador precisa de todos. Quando os titulares não podem jogar, esses atletas que jogam menos precisam aproveitar a oportunidade", discursou Alberto.

Mesmo se o Brasil não passar da primeira fase do Torneio de Toulon, não haverá tempo para Leandro voltar ao Palmeiras antes da Copa do Mundo. Por isso, Marquinhos Gabriel tem a sua grande oportunidade de mostrar valor, e já promete empenho. "Precisávamos de um jogo corrido como contra o Sampaio Corrêa para verem a raça do Palmeiras e que somos um grupo merecedor", falou o meia-atacante.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.