Volante pede concentração ao time nos cinco jogos que ainda restam antes da pausa para a Copa do Mundo

Wesley, volante do Palmeiras
Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação
Wesley, volante do Palmeiras

O Palmeiras superou uma fraca atuação no primeiro tempo e, com dois gols nos acréscimos, avançou na Copa do Brasil vencendo o Sampaio Corrêa por 3 a 0. Mas Wesley, mais renomado dos jogadores do time que estiveram em campo nesta quarta-feira, vetou qualquer empolgação.

"Precisávamos ganhar e tivemos um resultado importante contra o Goiás e, agora, com essa classificação. Mas não pode parar. Futebol é fogo e tem muita coisa para acontecer até a parada da Copa. Precisamos conquistar o máximo de pontos no Campeonato Brasileiro", disse o volante.

Já deixando para trás a sequência de três derrotas que gerou a demissão de Gilson Kleina, o camisa 11 já está de olho na liga nacional, pela qual o time disputará os cinco jogos que lhe restam antes do Mundial. O primeiro compromisso desta sequência será no domingo, em visita ao Vitória, na Bahia. Mas a evolução depois do intervalo nesta quarta-feira gera, ao menos, ânimo.

"Conseguimos criar espaço e, depois do primeiro gol, só facilitou e conseguimos um resultado importante", comentou Wesley, um dos líderes do elenco, mas se colocando à parte na busca da diretoria por um treinador.

"Independentemente do que acontecer, temos que trabalhar de qualquer maneira. Cada técnico tem seu status, mas futebol é muito dinâmico, muda tudo muito rápido. Temos é que obedecer e jogar bola", simplificou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.