Tamanho do texto

Queda na arrecadação com bilheteria contribuiu para que o clube terminasse 2013 com apenas R$ 1 milhão de superávit

Nesta quinta-feira, o Corinthians divulgou o Relatório de Sustentabilidade referente a 2013 e apresentou que neste ano teve receita total cerca de R$ 50 milhões menor comparado ao ano anterior. Sem chegar às fases mais agudas da Libertadores da América e com menor renda da TV, a arrecadação do clube ficou em R$ 316 milhões, longe dos R$ 358,5 milhões de 2012.

A queda da receita total reflete no superávit anual do clube. De 2008 para cá, o Corinthians se orgulha de jamais fechar um ano no vermelho e a situação se repetiu em 2013, mas com números bem menos expressivos, já que o superávit foi de apenas R$ 1 milhão.

Mandos perdidos por punições do STJD fizeram clube jogar longe do Pacaembu e perder renda
Divulgação
Mandos perdidos por punições do STJD fizeram clube jogar longe do Pacaembu e perder renda

Segundo Raul Correa da Silva, diretor de finanças do Alvinegro, a queda da arrecadação se dá por diversos fatores, entre eles a renovação do contrato de direitos de transmissão, que foi renovado em 2012. Como a renovação garantia luvas ao clube, o valor daquele ano foi maior que o posterior. O superávit pouco expressivo é consequência disso.

"Em instituições sem fins lucrativos (como é o Corinthians), o resultado tende a ficar bem próximo ao equilíbrio. Qualquer pequeno impacto que você tenha, isso vai direto para o resultado final. Se você tem um desempenho não tão positivo, isso reflete no resultado", explica o dirigente.

Em comparação a 2012, o Corinthians realmente não conseguiu manter o desempenho dentro de campo. Em vez de conquistar a Libertadores da América e o Mundial de Clubes, o time do Parque São Jorge levantou a taça do Paulistão e da Recopa Sul-Americana, torneios de menor expressão. Assim, como explicou Raul Correa da Silva, a arrecadação em ingressos cai e o consumo de produtos também.

O Relatório de Sustentabilidade apresentado pelo Alvinegro refere-se ao período entre 1º de janeiro e 31 de dezembro do ano passado, mas ainda leva em consideração fatos relevantes que aconteceram até o final de janeiro deste ano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.