"Há recursos suficientes em caixa, foram disponibilizados mais dezenas de milhões da Lei de Incentivo", disse Carlos Miguel Aidar, mandatário do clube do Morumbi

Carlos Miguel Aidar, presidente do São Paulo
Djalma Vassão/Gazeta Press
Carlos Miguel Aidar, presidente do São Paulo

Carlos Miguel Aidar apresentou o primeiro reforço de sua gestão nesta terça-feira. Após uma negociação bastante conturbada, o novo presidente do São Paulo compareceu à coletiva de imprensa para receber Alan Kardec, mas o atacante não é capaz de deixar o mandatário satisfeito. Com dinheiro em caixa, a nova gestão do Morumbi promete o clube forte no mercado da bola.

Kardec vibra por rever Muricy, mas não se coloca no time titular do São Paulo

"Há recursos suficientes em caixa, foram disponibilizados mais dezenas de milhões da Lei de Incentivo. O São Paulo segue como clube comprador", revelou Carlos Miguel Aidar, depois de ver o clube receber cerca de R$ 10 milhões por causa da Lei do Incentivo Fiscal.

A prioridade da atual diretoria deve ser reforçar a defesa, setor que vem sendo bastante criticado após as más atuações nas últimas partidas. Conhecido por contar sempre com zagas seguras, Muricy Ramalho não conseguiu com que a atual equipe passasse a mesma confiança, abrindo espaço para queixas dos torcedores.

O treinador, aliás, conta com poucas opções em seu elenco. Sem Rafael Tolói, que tem contrato de empréstimo com a Roma até 30 de junho, o comandante foi obrigado a promover o garoto Luccas Silva ao elenco profissional, mas ainda assim prefere improvisar na defesa. Muricy vem jogando com o volante Rodrigo Caio como zagueiro.

"Temos o Lucão, a perspectiva ou não da volta do Tolói e quem está jogando. Time está montado, está na mão do Muricy ser campeão, não está nas mãos da diretoria, fizemos o que podíamos. Se surgir uma oportunidade, claro que vai ser um clube comprador sempre", analisou Carlos Miguel Aidar.

O mandatário, no entanto, pode perder mais um jogador para o setor. O São Paulo vem tentando chegar a um acordo com o representante do garoto Luccas Silva com relação ao contrato de profissionalização do jogador. Apesar das investidas de Ataíde Gil Guerreiro, vice de futebol, a proposta ainda não foi aceita.

As indefinições abrem espaço para especulações, como Manoel, do Atlético-PR, e Dória, do Botafogo, mas o mandatário tricolor prefere não falar sobre o assunto. "Confesso que não sei se interessam. O que sei é que não houve nenhum contato com Manoel. Não houve nenhum entendimento com o Atlético-PR. E o Dória eu soube pela mídia. Vi que ele é do Botafogo, um jovem. Realmente eu não sei", completou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.