Empresa já tinha pago R$ 4 mi ao clube. Envolvidos em irregularidades, sócios são procurados pela polícia americana

Em nota de três linhas no seu site oficial, o Botafogo anunciou que o seu contrato com a Telexfree está encerrado. A suspensão do patrocínio acontece três dias depois de um dos sócios da empresa americana, James Matthew Merrill, ter sido preso nos Estados Unidos.  Carlos Nataniel Wanzeler, outro fundador da empresa, está foragido. A empresa é acusada de ser uma pirâmide financeira bilionária, que atraiu mais de 1 milhão de pessoas no Brasil.

Representantes do Botafogo e da Telexfree apresentam camisa do clube com anúncio da empresa, suspeita de ser pirâmide financeira. Acordo foi fechado em janeiro em Miami
Divulgação/Botafogo/Vitor Silva/SSPress
Representantes do Botafogo e da Telexfree apresentam camisa do clube com anúncio da empresa, suspeita de ser pirâmide financeira. Acordo foi fechado em janeiro em Miami

"O Botafogo de Futebol e Regatas comunica a rescisão do contrato de patrocínio com a TelexFree Internacional, com base nas cláusulas contratuais pertinentes. A empresa já foi notificada pelo Clube e não mais estampará sua marca nos espaços publicitários previamente acordados", disse o Botafogo em nota. 

O anúncio de parceria entre Botafogo e Telexfree foi feito em janeiro, quando a empresa já estava proibida de atuar no Brasil. O acordo valia, em príncipio, com o braço americano da corporação. Em reportagem do iG , ficou comprovado que clube recebeu ao menos R$ 4 milhões , quantia superior ao que a empresa faturou com a venda de pacotes VoIP. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.