Cenatroavante ficou como suplente durante todo triunfo santista por 2 a 0, na cidade de Londrina

Em jogo de arbitragem polêmica, o Santos fez 2 a 0 no Figueirense, em Londrina, no Paraná, com gols de Gabriel e Arouca, e acabou com a série de três empates seguidos no Brasileirão, vencendo a primeira na competição. Enquanto isso, o time catarinense segue como lanterna do torneio com quatro derrotas e nenhum gol marcado até aqui.

Confira a classificação e os próximos jogos do Brasileirão

A primeira polêmica do jogo aconteceu em lance a favor dos mandantes. Gabriel atropelou Arthur dentro da área, mas o árbitro mandou o lance seguir. Pouco tempo depois, o atacante santista abriu o placar em posição irregular, mas dessa vez o árbitro validou o lance. No segundo tempo, nova polêmica com a arbitragem e com Gabriel. A revelação alvinegra fez uma ‘graça’ após o gol de Arouca e levou uma trombada. Francisco Carlos do Nascimento foi rigoroso e expulsou o jogador do Figueirense.

Gabriel celebra gol do Santos sobre o Figueirense
CÉLIO MESSIAS/Gazeta Press
Gabriel celebra gol do Santos sobre o Figueirense

Na próxima rodada, o Santos enfrenta o Atlético-MG na Arena Pantanal, em Cuiabá. O jogo não será na Vila Belmiro porque o estádio santista já estará à disposição da Costa Rica para treinos visando a Copa do Mundo. Já o Figueirense, também no domingo, pegará o Corinthians no primeiro jogo oficial da Arena que será palco da abertura do Mundial, em Itaquera. Antes disso, porém, o Peixe faz o segundo jogo contra o Princesa do Solimões, na Vila, em duelo que vale vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil.

O jogo - A paciência com Leandro Damião parece estar acabando. Com apenas 5 gols em 17 jogos pelo Santos, sendo que o último foi no longínquo 30 de março, o atacante começou o jogo deste domingo no banco de reservas. No seu lugar entrou Lucas Lima, o meia que vem agradando a cada vez que entra no time, como disse o técnico Oswaldo de Oliveira antes da partida, ao explicar a mudança na escalação. "Mais tecnicamente do que taticamente. O Lucas Lima toda vez que entrou a equipe jogou melhor".

Mesmo com o abandono do 4-3-3 pelo 4-4-2, o Peixe não ficou menos ofensivo. Desde o apito do árbitro, o alvinegro praiano partiu para cima do Figueirense em busca da primeira vitória no Campeonato Brasileiro.

Os paulistas chegavam chutando de fora da área, pelas laterais, criavam perigo em escanteios e quando perdiam a bola, pressionavam a marcação já no campo de defesa do adversário. Dessa maneira, não sofria perigo e ficava com a posse da bola.Mas estava difícil ser efetivo. Lanterna do Brasileirão com três derrotas em três rodadas, o Figueirense formou duas linhas à frente da área, uma com 4 e outra com 5 homens, deixando apenas Ricardo Bueno avançado.

Mesmo assim, em uma rara tentativa de ataque do time mandante, o Santos saiu rápido para o contra-ataque com Thiago Ribeiro, que rolou para Lucas Lima. O meia chegou batendo no gol, mas desperdiçou a principal chance santista até então.

Aos 30, outra chance do Santos com Cícero, que bateu de fora da área e a bola passou perto. No lance seguinte, Cícero quase marcou ‘sem querer’. Ao tentar afastar o perigo, o goleiro Tiago Volpi socou a bola nas costas do jogador santista. E o gol só não saiu porque o zagueiro Raul salvou em cima da linha.

Com 38 minutos de jogo, o Figueirense reclamou muito de um pênalti após uma disputa entre Arthur e Gabriel, mas o árbitro mandou seguir.

Já no fim da primeira etapa, aos 44, o Santos, de tanto tentar, balançou as redes. Lucas Lima serviu Emeron na esquerda. O lateral cruzou na cabeça de Gabriel, que não perdoou. O artilheiro do Santos na temporada estava avançado, impedido no lance, mas o assistente não assinalou e validou o gol irregular do Peixe.

No último lance do primeiro tempo, uma notícia ruim para Oswaldo de Oliveira. Emerson sentiu a coxa esquerda e teve que ser substituído por Zé Carlos. Já o Figueirense terminou os primeiros 45 minutos da partida sem chutar uma única bola ao gol.

Apesar de mais lento, o segundo tempo começou com o mesmo panorama. O Santos com mais posse de bola e mandando no jogo, enquanto o Figueirense só se defendia, que sabe, apostando em um contra-ataque.

Com 5 minutos, Alison arriscou de longe e obrigou Tiago Volpi a fazer boa defesa. Aos 11, Lucas Lima lançou Gabriel. Cara a cara com o goleiro, o jovem atacante santista isolou ao tentar encobrir o goleiro.

Com 16 minutos, o Santos praticamente garantiu a vitória com mais um gol. Arouca chegou como elemento surpresa, recebeu passe de Thiago Ribeiro pela direita, deu uma finta de corpo no adversário e bateu de pé esquerdo, rasteiro, para marcar o segundo tento do Peixe no jogo.

Apenas cinco minutos depois, Gabriel protagonizou mais uma lance polêmico no jogo. Após driblar um adversário e tocar a bola olhando para o lado oposto, o jogador irritou Raul, marcador do Figueirense que entendeu o lance como uma provocação e deu uma trombada em Gabriel. Depois de muita discussão, o árbitro expulsou Raul e complicou ainda mais o lanterna do Brasileirão.

Com vantagem no placar e numérica, o Santos passou a administrar o resultado. No fim do jogo, teve uma grande chance de fazer o terceiro gol com Gabriel, mas o goleiro do Figueirense fez um milagre e evitou uma derrota ainda pior.

Já nos acréscimos, Cicinho cometeu uma falta de jogo, levou o cartão amarelo e em seguida o vermelho, aparentemente, por reclamação.

FICHA TÉCNICA
FIGUEIRENSE 0 X 2 SANTOS

Local : Estádio do Café, em Londrina (PR)
Data : 11 de maio de 2014, domingo
Horário : 18h30 (horário de Brasília)
Árbitro : Francisco Carlos do Nascimento (AL-FIFA)
Assistentes : Carlos Jorge Titara da Rocha (AL) e Thalis Augusto S Monteiro (AL)

Gols : SANTOS: Gabriel, aos 44 minutos do primeiro tempo, e Arouca, aos 16 do segundo.

Cartões amarelos : Nem (Figueirense); Cicinho (Santos)
Cartões vermelhos : Raul (Figueirense); Cicinho (Santos) Público: 8.518 pagantes

FIGUEIRENSE : Tiago Volpi; Artur (Leandro Silva), Marquinhos, Raul, Guilherme Lazaroni; Nem, Luan, Marco Antônio (Rivaldo); Dudu, Everton Santos (Vitor Junior), Ricardo Bueno
Técnico : Guto Ferreira

SANTOS : Aranha, Cicinho, Jubal, David Braz e Emerson (Zé Carlos); Alison (Leandrinho), Arouca, Cícero e Lucas Lima (Geuvânio); Thiago Ribeiro e Gabriel
Técnico : Oswaldo de Oliveira

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.