"Não queria causar dano a ninguém, ele fez uma brincadeira e as pessoas fizeram uma revolução por isso", disse o lateral brasileiro do Barcelona

Daniel Alves come a banana atirada contra ele no
Reprodução/Vine
Daniel Alves come a banana atirada contra ele no "El Madrigal", estádio do Villarreal

O lateral direito Daniel Alves pediu que o Villarreal devolva o emprego ao jovem David Campayo Leo, que atirou uma banana na direção do brasileiro durante o jogo entre Villarreal e Barcelona, no último dia 27 de abril. Funcionário do time amarelo, Campayo foi demitido pelo clube após o ato e impedido de frequentar o estádio El Madrigal pelo resto da vida.

"Minha única preocupação é que o menino perdeu o emprego, e isso eu não queria. Não queria causar dano a ninguém, ele fez uma brincadeira e as pessoas fizeram uma revolução por isso. Peço que devolvam seu trabalho", afirmou Daniel Alves em entrevista à rádio Rac1.

Segundo o jogador, que se mostrou contrário à campanha #somostodosmacacos, encabeçada por Neymar, afirmou que Campayo não sabia o que estava fazendo. "Não é uma coisa que aconteceu agora. Não quero generalizar, não disse que a Espanha é racista. Digo que na Espanha há racismo. Estou há onze anos aqui, e há onze anos é a mesma coisa: as pessoas me chamam de macaco", afirmou.

Depois que o jovem de 26 anos foi apreendido pela polícia espanhola, alguns habitantes de Villarreal saíram às ruas para protestar contra o "linchamento" de David e os moradores da cidade, que estaria sendo praticado por alguns meios de comunicação. Se condenado, David Campayo Leo pode ser obrigado a cumprir de um a três anos de prisão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.