Palmeiras encara o Sampaio Corrêa, pela Copa do Brasil, nesta quarta, mas está de olho no Campeonato Brasileiro

Gilson Kleina, técnico do Palmeiras
SERGIO BARZAGHI / Gazeta Press
Gilson Kleina, técnico do Palmeiras

Em meio ao discurso de foco momentâneo na Copa do Brasil, torneio pelo qual o time enfrenta o Sampaio Corrêa nesta quarta-feira, o Palmeiras está de olho na recuperação no Campeonato Brasileiro . O elenco lembra até do rebaixamento em 2012 para já ficar alerta após somar somente três pontos em três rodadas.

"Muita gente fala que está no começo, mas temos que encarar com baita dificuldade porque o Campeonato Brasileiro não aceita desaforo. Quanto antes voltarmos a pontuar será de grande importância para a nossa continuidade", comentou Wesley, presente na campanha que levou o clube à segunda divisão nacional há dois anos.

A derrota de virada para o Flamengo, por 4 a 2, no domingo, motivou a declaração do volante, bem similar à que Gilson Kleina adotou mesmo durante o Campeonato Paulista. "Na Série A, não dá para brincar", avisou o técnico à base campeã da Série B do Brasileiro.

O resultado no Maracanã só aumentou a urgência de melhora. "Não foi o que queríamos. No Campeonato Brasileiro, temos que estar ligados o tempo todo, os 90 minutos e os acréscimos. Não soubemos tomar conta disso", falou Wesley.

"O futebol hoje em dia está muito igual. A maioria das equipes, tirando algumas exceções, está no mesmo nível. O que supera mesmo é a vontade, é a aplicação tática. Então, tenho certeza de que estamos no caminho e que daremos a volta por cima", tentou motivar o jogador.

A ideia inicial de Kleina é atingir, ao menos, 60% de aproveitamento, o que significa 17 pontos antes da parada da Copa do Mundo. O time tem que correr atrás de 14 pontos nos seis próximos jogos. "Já conversamos bem sobre esses nove jogos, para buscar a melhor pontuação. Não é bom ter duas derrotas seguidas. Precisamos reagir", cobrou o treinador.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.