O estilo de jogo proposto por Guardiola no clube também foi severamente criticado, inclusive por Beckenbauer

A derrota do Bayern de Munique para o Real Madrid por 1 a 0 no Santiago Bernabéu pelo jogo de ida da semifinal da Liga dos Campeões não foi bem digerida pela diretoria, imprensa, torcida e ídolos alemães. No dia seguinte após o revés, não faltaram críticas ao time bávaro, com o técnico Pep Guardiola e o meia-atacante Franck Ribery sendo eleitos como principais vilões.

Guardiola passa instruções para Alaba durante derrota do Bayern diante do Real
Getty Images
Guardiola passa instruções para Alaba durante derrota do Bayern diante do Real

O jornal Sport Bild , de maior circulação do segmento esportivo, afirmou: "Uma besta que você não precisa temer", com a foto de Pep Guardiola como ilustração. O título é uma referência ao apelido do técnico na Espanha, onde ficou conhecido como "Besta Negra", devido à antiga invencibilidade do comandante no estádio do Real Madrid na época em que comandava o Barcelona. A marca chegou ao fim com a derrota de ontem para os madridistas.

Na capa do The Bild desta quinta-feira, foi evidenciado o mau aproveitamento da defesa bávara, formada por Rafinha, Boateng, Dante e Alaba. "Este setor choca o Bayern", publicou o diário, com uma foto do goleiro Neuer fazendo uma de suas defesas.

O estilo de jogo proposto por Guardiola no clube também foi severamente criticado. Além da imprensa, as críticas também vieram do presidente honorário e maior ídolo do Bayern, Franz Beckenbauer. "Posse de bola não significa nada quando o adversário cria tantas oportunidades de gol. Devemos estar felizes por só ter sofrido um gol até aqui", disse o ex-jogador ainda durante o intervalo do jogo.

Já o meia Franck Ribery, tido como principal estrela do Bayern, foi discreto no duelo contra os merengues e acabou não sendo poupado. Em entrevista ao The Bild , o ex-goleiro Oliver Kahn, outro grande ídolo do clube, disse que o lado psicológico do atleta precisa ser melhor trabalhado.

"Franck é um jogador sensível. Ele é muito dependente de motivação emocional. Você precisa trabalhar muito isso, conversando com ele, tirando tudo que ele pode. É sempre descobrir o que o deixa deprimido. Ele é um dos poucos que podem fazer a diferença dentro de uma equipe", disse Kahn.

    Leia tudo sobre: bayern de munique
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.