Zagueiro de 19 anos agora treina com os profissionais e ainda espera ser chamado para o primeiro jogo

Gabriel Dias durante o treino do Palmeiras, na Academia de Futebol
Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação
Gabriel Dias durante o treino do Palmeiras, na Academia de Futebol

Gabriel Dias ainda não foi relacionado para nenhuma partida com os profissionais, mas o fato de ter sido promovido pelo técnico Gilson Kleina é motivo de orgulho para quem está há seis anos no Palmeiras . Aos 19 anos, o zagueiro comemorou a extensão do contrato por mais dois anos e o fato de fazer parte do grupo no ano mais importante do clube, que é o do centenário. Ele já até ouviu "cobranças" do comandante. 

Leia também: Reestruturada há um ano, base do Palmeiras gasta menos sem diminuir investimento

"Não tenho como dizer o tamanho da felicidade de estar no elenco do centenário do Palmeiras. Um clube que já teve Zinho, Ademir da Guia, César Maluco, César Sampaio e outros jogadores que fizeram história no clube e eu estar aqui hoje é muito gratificante. Vou levar para o resto da minha vida, porque o Palmeiras é o clube que eu amo. Estou muito feliz em ter tido essa oportunidade", afirmou o defensor em entrevista ao iG Esporte .

"Estou muito feliz com a renovação, porque era o que eu queria. Com meu contrato renovado estou ainda mais motivado. Agradeço ao Palmeiras por tudo o que tem feito por mim, e eu vou tentar devolver isso da melhor forma possível que é dentro de campo horando a camisa do Palmeiras", completou.

Gabriel Dias durante jogo-treino contra a seleção brasileira sub 21, em Mogi
Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação
Gabriel Dias durante jogo-treino contra a seleção brasileira sub 21, em Mogi

Integrado ao elenco na última quarta-feira, Gabriel Dias participou do segundo tempo do jogo-treino na última sexta-feira contra a seleção brasileira sub 21, em Mogi das Cruzes, e já ouviu conselhos do comandante.

"Essa semana foi muito legal, porque pude ficar mais perto dos meus ídolos Valdivia, Wesley e Lúcio. Fiquei muito feliz. O professor Kleina veio falar comigo, disse para eu ter a mesma dedicação que tinha na base e isso eu já tinha na minha cabeça. Todos me receberam muito bem. Agora é manter os pés no chão, mas espero que eu venha ter uma oportunidade e eu possa agarrá-la", declarou.

Gabriel Dias já vinha sendo obversado por Kleina desde o ano passado, quando durante a Copa São Paulo de Júnior o defensor assumiu a titularidade da equipe após a saída de Luiz Gustavo. Desde então, ele não voltou mais para o banco de reservas e se tornou homem de confiança do técnico Diogo Giacomini (do sub 20) ao assumir a braçadeira de capitão. Agora a briga é por vaga em uma defesa que tem Lúcio, campeão do mundo com a seleção brasileira, como xerifão.

"A briga é muito boa, muito sadia. Lógico que todo mundo quer ter seu espaço, não só no Palmeiras como em qualquer lugar. Mas o respeito é mútuo. Eu estou chegando agora, sei que tenho muito o que melhorar. Eu quero o meu espaço, mas vou respeitar sempre quem estiver a minha frente", disse Dias pregando humildade diante aos companheiros.

Gabriel Dias chegou ao Palmeiras depois de quase desistir de se tornar jogador de futebol por causa das dificuldades financeiras da família. Pupilo de Martinez, ex-Palmeiras e Náutico e hoje no Criciúma, o jovem zagueiro chegou ao Palestra Itália por intermédio do veterano volante, que o viu atuar no interior paulista, na partida amistosa entre Lourdes e Magda. Com a história de vida difícil - perdeu o pai em uma chacina ainda quando criança -, Dias só pensa em ser feliz no Palmeiras.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.