Kalil Rocha Abdalla decidiu não concorrer no final da tarde desta quarta-feira, horas antes do pleito. Objetivo foi atrapalhar a votação para aprovação da reforma do Morumbi

Kalil desistiu de concorrer à eleição para atrapalhar a votação da reforma do Morumbi
SERGIO BARZAGHI / Gazeta Press
Kalil desistiu de concorrer à eleição para atrapalhar a votação da reforma do Morumbi

Com intuito de barrar a votação do projeto de reforma do Morumbi, Kalil Rocha Abdalla, nome da oposição que concorreria à eleição presidencial do São Paulo , retirou sua candidatura, no fim da tarde desta quarta-feira, horas antes do pleito. Dessa forma, ele admite de antemão a derrota e, embora facilite a eleição do situacionista Carlos Miguel Aidar, tenta fazer com que o primeiro tema não seja votado.

Jorge Nicola: Kalil desiste de candidatura à presidência do São Paulo

O estatuto reza que não pode haver votação se não estiver presente o mínimo de 75% do Conselho. Foi dessa forma que a oposição esvaziou o salão nobre, em 17 de dezembro do ano passado. A convocação da votação da matéria para esta quarta-feira foi uma maneira encontrada pela diretoria justamente para forçar a presença dos conselheiros oposicionistas.

Inicialmente, a estratégia não havia sido encarada de uma única forma pelos adversários. Alguns conselheiros que pretendiam votar em Kalil, mesmo admitindo vitória de Aidar, cogitavam não se apresentar, a fim justamente de que não houvesse quórum suficiente para abrir votação do tema. Outros, como Marco Aurélio Cunha (conselheiro de oposição mais votado), prometiam comparecer independentemente da "armadilha".

E mais: Juvenal cita Lula e se defende sobre o 3º mandato consecutivo no São Paulo

Nesta quarta-feira, chegou-se a um consenso de que a retirada da candidatura de Kalil seria a melhor maneira de "sair por cima" e, de quebra, não avalizar a reforma do Morumbi em meio à eleição presidencial. Apesar de classificar o projeto de modernização do estádio como positivo, a oposição entende que o assunto ganhou cunho político e questiona detalhes do texto. Em 25 de janeiro, uma reunião aberta a associados mais resultou em polêmica do que em esclarecimentos.

Além da cobertura, o projeto prevê a construção de uma arena de show e de novos estacionamentos. Pelo imbróglio que se arrasta, a Andrade Gutierrez, construtora com quem o clube havia se acertado para a obra da cobertura, a desistir da parceria. Segundo a diretoria, seus demais colaboradores (LACAN, XYZ e Multipark) continuam dispostos a contribuir com os planos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.