Candidato único após trabalho de Marin nos bastidores, Marco Polo del Nero será eleito novo presidente da entidade nesta 4ª

Marco Polo Del Nero e José Maria Marin na festa de premiação do Paulistão 2014
SERGIO BARZAGHI / Gazeta Press
Marco Polo Del Nero e José Maria Marin na festa de premiação do Paulistão 2014

Marco Polo del Nero será aclamado presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) nesta quarta-feira. Com a desistência da oposição encabeçada por Andrés Sanchez e Francisco Noveletto, o atual nome forte da FPF (Federação Paulista de Futebol) é candidato único a suceder José Maria Marin, de quem é braço direito.

Para registrar sua chapa, a oposição precisaria conseguir o apoio de pelo menos oito federações estaduais e cinco clubes, segundo prevê o estatuto da CBF. O movimento contava apenas com cinco federações: Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Bahia e Rio Grande do Sul, da qual Noveletto é presidente.

Em fevereiro, menos de um mês após o anúncio de que o gaúcho concorreria, veio a notícia da desistência: Del Nero já tinha a seu lado ao menos 20 das 27 federações. A falta de uma disputa agradou ao atual presidente Marin, que trabalhou nos bastidores como principal “cabo eleitoral” da situação.

“Eu conduzi o processo sucessório para que ele fosse feito da melhor maneira dentro de um clima democrático e, acima de tudo, de tranquilidade. Estamos em um ano atípico, ano de Copa do Mundo , e é muito importante que o futebol brasileiro em todos os seguimentos tenha paz, tranquilidade”, afirmou Marin no último domingo, após a final do Campeonato Paulista.

Marco Polo del Nero foi
Gazeta Press
Marco Polo del Nero foi "sombra" de José Maria Marin durante toda a gestão do presidente da CBF

“Não seria bom para o futebol brasileiro, às vésperas da Copa do Mundo, haver uma disputa que resultasse em atrito de dirigentes. O fato de ter um candidato único mostra como o futebol brasileiro está unido. Ficosatisfeito que o Marco Polo del Nero vai ser praticamente eleito por aclamação”, completou o mandatário da CBF.

Mas essa hoje comemorada “união" foi suada. No ano passado, Andrés Sanchez atacou constantemente a administração de Marin e despontou como principal nome de oposição. O ex-dirigente do Corinthians visitou diversos presidentes de federação e, em dezembro de 2013, anunciou ter os apoios necessários para registrar sua chapa. Em janeiro, Noveletto assumiu a liderança do movimento e se declarou candidato, ainda ao lado de Sanchez.

Andres Sanchez era o principal articulador da oposição na CBF
SERGIO BARZAGHI / Gazeta Press
Andres Sanchez era o principal articulador da oposição na CBF

Porém, o mesmo lobby dos oposicionistas foi feito também por Marin. Além de se reunir com dirigentes, o presidente da CBF, entre suas cartadas, aumentou a de R$ 50 mil para R$ 100 mil a “mesada” para as federações estaduais no final do ano passado e criou a Copa Verde, torneio que reunirá clubes de 11 Estados das regiões Norte e Centro-Oeste e dará a seu campeão uma vaga na Copa Sul-Americana.

Restou a Noveletto, sem o apoio suficiente, recuar. “Eu não tenho a vaidade de ser presidente da CBF. Quem perde é o futebol”, disse, em fevereiro.

Quem vota?

São 47 votos na eleição para presidente da CBF: 27 dos presidentes das federações estaduais e 20 dos presidentes dos clubes da Série A do Campeonato Brasileiro. Para ser eleito, o candidato deve receber, no mínimo, 24 votos.

Quem é Marco Polo del Nero?

Início na FPF

Marco Polo Del Nero assumiu a FPF em agosto de 2003 em substituição a Eduardo José Farah, que estava há 15 anos na presidência da entidade. Na ocasião, Farah afirmou que "estava cansado e pretendia passar mais tempo com os seus familiares" e licenciou-se do cargo, fazendo com que o então vice assumisse a cadeira.

Primeira eleição em 2006

Depois de suceder Eduardo José Farah, Del Nero encarou a primeira eleição na federação em 2006. O cartola obteve a assinatura de 109 clubes e ligas amadoras e acaboueleito até 2010. Na ocasião, ele chegou a falar que a intenção não era "se eternizar na FPF como Farah" e cumpriria apenas os três anos de mandato.

Caso Madonna

Em 2008, Del Nero acusou a diretoria do São Paulo de tentar subornar o árbitro Wagner Tardelli com dois ingressos do show da cantora Madonna, que aconteceria no estádio do Morumbi. O árbitro havia sido escalado para apitar a última rodada do Brasileirão daquele ano, mas acabou substituído. O clube conquistou seu hexacampeonato e o cartola foi suspenso por 90 dias.

Reeleição até 2014

Em março de 2010, Del Nero foi reeleito por mais quatro anos de mandato. O fato inusitado foi por conta da ausência do São Paulo durante o encontro na sede da federação.

Investigado pela Polícia Federal

Em 2012, Del Nero foi alvo de investigações da Polícia Federal. Na época, o superintendente Roberto Trocon Filho afirmou que os procedimentos da Operação Durkheim não tinha relação com o futebol. O dirigente alegou que contratou uma empresa de detetives particulares porque estava com ciúmes de sua namorada, a jornalista Carolina Galan.

Permanência até 2018

Em janeiro deste ano, Marco Polo Del Nero foi reeleito presidente da Federação Paulista de Futebol até 2018. Foi a terceira eleição dele e todas sem concorrentes.

Saldo modesto

“Se você analisar em números, eles são espetaculares, seja na base da receita dos clubes que ganharam mais dinheiro nas competições. Enfim, acho que foi uma administração modesta, mas séria acima de tudo. Nós vamos esperar chegar a eleição para poder falar sobre esse assunto”, disse Del Nero sobre própria gestão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.