Eric Botteghin, do Groningen, está entre os melhores jogadores do Campeonato Holandês, mesclando eficiência defensiva e bons números ofensivos. Jogar em seu país é um objetivo

O zagueiro brasileiro Eric Botteghin cercado por fãs do Groningen, da Holanda
Divulgação/Twitter
O zagueiro brasileiro Eric Botteghin cercado por fãs do Groningen, da Holanda

Zagueiro com experiência internacional, 25 anos, 1,93 m, colecionador de gols e assistências, sem deixar de lado a eficiência defensiva. O currículo, suficiente para despertar o interesse de qualquer time brasileiro, é de Eric Botteghin, que não chegou a atuar como profissional no Brasil e hoje se destaca no Groningen, da Holanda. Aos interessados, um recado importante: ele gostaria de jogar numa equipe de ponta do Brasil.

"Gosto muito de jogar aqui na Europa, mas se tivesse a oportunidade de jogar por um grande clube no Brasil, aceitaria com certeza", disse ao iG o brasileiro, autor de dois gols e três assistências na atual edição do Campeonato Holandês.

Leia mais: Sem nunca ter atuado no Brasil, Raffael vive o clima de clássico alemão

Os bons números ofensivos não são por acaso, segundo Eric. "Tenho o estilo de zagueiro-artilheiro, tenho feito gols em todas as temporadas", diz ele, ainda assim insatisfeito com o desempenho lá na frente. "Eu deveria ter balançado mais as redes", avalia.

Obrigação de zagueiro, porém, é defender. E isso não fica em segundo plano para o brasileiro. Segundo o site Squawka , que registra estatísticas dos principais torneios da Europa, Eric é o jogador com maior eficiência defensiva do Campeonato Holandês . No geral, as estatísticas o colocam como o quatro melhor jogador da competição, de acordo com o site.

Eric Botteghin comemora gol pelo Groningen: zagueiro com faro de artilheiro
Divulgação/Twitter
Eric Botteghin comemora gol pelo Groningen: zagueiro com faro de artilheiro

Depois de passar pela base do Palmeiras e de atuar por um curto período no Internacional, Eric chegou em 2007 ao Zwolle, modesto clube holandês. De lá foi para o NAC Breda antes de chegar ao Groningen. Com o tempo, as boas atuações valorizaram o zagueiro, que desembarcou na Europa avaliado em 650 mil euros e hoje atingiu 1,5 milhão de euros, de acordo com o Transfer Market .

“Sinto que meu trabalho tem sido reconhecido aqui na Holanda, pois tenho dado passos sempre para a frente em minha carreira”, diz Eric, que tem a cidadania italiana, o que ajudou a abrir as portas do futebol europeu.

Com dois passaportes no bolso, o defensor não descarta adicionar um terceiro. “Acho que todos os jogadores brasileiros sonham com a seleção brasileira, mas sei da minha realidade. Sei que para ter uma oportunidade preciso jogar em um time grande da Europa ou do Brasil. Se recebesse o convite da Holanda, eu aceitaria sim, com toda certeza”.

Para dar o próximo passo, além do ótimo desempenho no Groningen, Eric Botteghin aposta no bom cartaz de seus colegas de posição atualmente. “Os zagueiros brasileiros se destacam em equipes grandes da Europa. Acho que os clubes europeus sempre buscam atacantes e jogadores brasileiros que façam a diferença, mas os zagueiros se adaptam mais rapidamente ao estilo de jogo europeu”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.