Tamanho do texto

Time tricolor é detentor de 44 títulos do torneio, enquanto seu maior rival levantou a taça apenas 27 vezes

Bahia e Vitória protagonizarão o primeiro clássico da final do estadual, neste domingo, às 16h (de Brasília), na Arena Fonte Nova. O Rubro-Negro, que teve a melhor campanha da competição, terá o mando de campo da última partida, no próximo fim de semana.

O time tricolor é detentor de 44 títulos do torneio, enquanto seu maior rival levantou a taça apenas 27 vezes. No entanto, nos campeonatos baianos em que a final foi essa, ambos os times apresentam o mesmo número de conquistas: doze. Desde 2012, o confronto marca a decisão do estadual, e as equipes se alteram como vencedoras. Há dois anos, o Bahia sagrava-se campeão e, no ano passado, foi a vez do Vitória.

Desde o campeonato de 1998, um finalista não consegue reverter vantagem em decisões envolvendo a dupla Ba-Vi. O Vitória jogará por dois resultados iguais, mas quer evitar pensar nesse fator. "Temos que entrar em busca da vitória. Se você entrar para jogar por um simples empate, você acaba perdendo. Mas se você entrar com objetivo de vencer, pode ocorrer de empatar ou vencer. Então temos que esquecer a vantagem e buscar trabalhar forte, porque aí há a possibilidade de fazer os gols e vencer", afirmou o lateral Ayrton.

A Federação Baiana definiu o árbitro da partida por meio de sorteio, na tarde desta sexta-feira. Quem apitará será o goiano Wilton Pereira Sampaio, integrante do quadro da Fifa.

Pelo lado rubro-negro, Souza encontra-se cada vez mais entrosado com o grupo e marcou seu primeiro gol com a camisa no último final de semana, contra o Conquista. O jogador deve formar dupla de ataque com William Henrique para o clássico. "É um jogador novo e de muita qualidade. Muito rápido. Tenho conversado bastante com ele, sobre como eu gosto de receber essa bola. Tem tudo para dar certo", afirmou Souza.

O atacante Marquinhos ficou fora do jogo da semifinal devido a uma lesão e, embora tenha treinado na tarde desta sexta, reclamou de dores. Por isso, ele pode desfalcar a equipe e, caso isso ocorra, Juan deve ser improvisado no meio-campo, e Mansur será deslocado para a lateral-direita.

Outro atacante que retornou aos treinos foi Dinei, nesta quinta-feira. O volante José Welison, poupado das atividades desta quarta, também participou do coletivo, assim como o zagueiro Luiz Gustavo, que operou o nariz recentemente.

Já pelo lado do Bahia, o técnico Marquinhos Santos antecipou uma decisão: Maxi Biancucchi está relacionado para o duelo. "Não sei se vai iniciar a partida de domingo. Não sei se tem condições. Mas tenho certeza que será utilizado. Ou iniciando a partida ou no decorrer dela. O Ney Franco conhece ele e com certeza vai ter preocupações. Sabe do potencial dele. E ele fará o melhor pelo Bahia. Independentemente de qualquer situação que tenha ocorrido. Ele hoje está no Bahia e fará o possível para que nossa equipe saia vencedora do confronto", revelou o treinador.

O atleta acabou de se recuperar de uma lesão muscular e atuou no segundo tempo da vitória sobre o Serrano, no último sábado. O atacante Rhayner, o meia Talisca e o lateral Guilherme Santos iniciaram a semana no departamento médico, porém voltaram a treinar nesta quinta. O Bahia contará com praticamente todo o elenco para o clássico. O único desfalque deve ser Rafinha, que sente dores musculares.

Disputa simbólica

Pelo outro confronto do final de semana no Campeonato Baiano, Vitória da Conquista e Serrano fazem a definição do terceiro lugar da competição. A partida será no domingo, às 16 horas, no estádio Lomanto Júnior. O primeiro embate, na última quinta-feira, às 20h30, acabou em 2 a 1 para o Serrano, em casa, no Roberto Pereira.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.