Treinador ficou feliz com a força demonstrada pela equipe, que com a vitória assegurou vaga na final do Catarinense

O Figueirense garantiu vaga à final do Campeonato Catarinense, após vencer por 3 a 2 o Criciúma em pleno Heribelto Hülse, no último domingo. O técnico Vinícius Eutrópio chamou atenção para a força do elenco, que após uma semana atribulada, alcançou seu principal objetivo.

O treinador contou sobre a estratégia que utilizou para motivar seus jogadores: mostrou-os uma foto de 1977, na qual aparecia com a camisa do Figueirense no estádio Orlando Scarpelli e perguntou se os atletas queriam estar na mesma situação, uma vez que a vitória asseguraria a segunda partida da final dentro de casa.

E mais: Figueirense derrota Criciúma fora de casa e garante vaga na final do Catarinense

"Sabíamos que teríamos que enfrentar uma pressão, então ficamos bem postados. Sabíamos que era importante sair na frente do marcador, e fomos muito eficazes. Eu fico feliz não só porque ganhamos, mas porque os dois times proporcionaram um jogo legal, bem disputado", afirmou.

Além disso, o técnico falou sobre os jogadores que vieram da base, como o estreante Jefferson, de 19 anos, que foi a campo no começo do segundo tempo, substituindo o experiente Marcos Assunção.

"Tínhamos oito jogadores da base aqui e isso é gratificante profissionalmente. O Jeferson não tinha entrado em um jogo sequer e jogou muito bem. Isso é o que nos satisfaz", exaltou.

O atacante Ricardo Bueno, que marcou dois gols no último jogo, também foi elogiado pelo treinador. "Ele voltou (a jogar) antes do prazo e sempre contribui com a equipe. É difícil ter um jogador que saiba segurar a bola, manter a posse, mas, além disso, ele é um líder positivo para o grupo", declarou.

Quando perguntado sobre outros destaques da partida, Eutrópio apontou Giovanni Augusto, Luan e Wellington Nem. "O empenho deles é que dá a chance de serem escalados. O Giovanni Augusto é um jogador de puro talento. Ele precisa despertar a competitividade e a gente diz que ele já foi um jogador de Rio, São Paulo e Minas. Quando incorporar o futebol de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul será um grande jogador. Demos moral para o Nem e a sua experiência pesa em um jogo como esse. O Luan é o nosso guerreiro, o nosso 12º jogador. É o maior exemplo de superação que temos no grupo. Mas nada disso seria fácil se eles não acreditassem no trabalho", explicou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.