Volante disse que não foi chamado pela diretoria para acertar renovação contratual. Ele tem vínculo até fevereiro de 2015

Wesley ainda não sabe se permanecerá no Palmeiras. Depois aceitar discutir o contrato por produtividade proposto pela diretoria, o volante revelou que ainda não foi chamado para conversar pelo presidente Paulo Nobre e disse estar contente com o interesse do São Paulo. Segundo o atleta, porém, nenhuma proposta foi enviada pelo rival.

Leia também: Após pancadas, meia do Palmeiras deixa o estádio com gelo e inchaço no tornozelo

Wesley foi autor do segundo gol do Palmeiras na vitória por 2 a 0 contra o Bragantino
Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação
Wesley foi autor do segundo gol do Palmeiras na vitória por 2 a 0 contra o Bragantino

“Não chegou nada para mim. Nem para mim, nem para o meu procurador. A gente não tem nenhuma base de proposta formalizada, então não tem por onde começar. A partir do início que o Palmeiras ter interesse em formalizar, aí sim abriremos as conversas”, disse o jogador após a vitória por 2 a 0 diante do Bragantino.

Sobre o interesse do time de Muricy Ramalho, treinador com quem já trabalhou no Santos, o palmeirense disse ser o “reconhecimento do trabalho”.

“Eu acho que o futebol as coisas mudam muito rápido. Eu estou muito feliz aqui (no Palmeiras), mas tratando de um interesse a gente fica muito feliz também porque é fruto do trabalho que está sendo reconhecido. Eu tenho as pessoas, bons profissionais que podem resolver (essa situação). O que importa é que estou feliz aqui, estou muito focado e querendo conquistar esse título (Paulistão). Vamos ver o que vai dar”, completou.

Uma dívida entre o Palmeiras e o fiador que viabilizou a contratação de Wesley, Antenor Angeloni, pode facilitar uma possível venda do atleta. O empresário, no início do ano, entrou na Justiça para receber os vencimentos e conseguiu bloquear R$ 10 milhões que o clube receberia referente às transmissões dos jogos.

Wesley tem vínculo até fevereiro no ano que vem e espera que o futuro seja resolvido antes do início do Brasileirão, em abril. “Eu sou um cara muito tranquilo, procuro viver dia a dia. Meu dia é aqui no Palmeiras, sei que amanhã vou voltar para fazer a recuperação, então, como falei, tem os profissionais para resolver (a renovação). Eu quero jogar bola e dar continuidade”, encerrou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.